top

 

 

 

Guto Requena Estudio / SP

 

 

 

 

 

 

 

 

O estúdio reflete sobre memória, cultura e poéticas narrativas nas diferentes escalas do design, como objetos, espaços e cidades. Sua obsessão em experimentar tecnologias digitais de modo emocional é o que une os seus projetos. Seu foco recente tem sido Arte Pública Interativa, e sua paixão em hibridar o analógico ao digital.

 

 

55 (11) 3081-2974 | @ | WEB


 

 

Share


Arquitetura
 Interiores

Urbanismo

 

 

 

Praça do Ciclista | São Paulo / SP

 

 

 

 

 

Projeto do Estúdio Guto Requena prevê mobiliário urbano, assistência ao ciclista e até um jardim musical. Apresentação ao público será marcada com pedalada na praça em nome da segurança de quem usa a bike nos centros urbanos

Reduto dos apaixonados por duas rodas em São Paulo, a Praça do Ciclista terá seu projeto de modernização revelado no próximo dia 25 de janeiro, data do aniversário da capital paulista. Nesse dia, as empresas Sense Bike, Eureka Coworking e o estúdio Guto Requena apresentarão ao público um novo desenho para o local.

 

Com projeto do Estúdio Guto Requena em colaboração com Plural Lab e paisagismo de Daniela Ruiz, a parceria assinada com a Prefeitura de São Paulo, via Subprefeitura da Sé, contemplará toda a revitalização da praça, além da sua manutenção pelos próximos três anos, ao custo total de R$ 370 mil.

"Criado de forma colaborativa, o novo projeto, visa potencializar o uso atual do espaço e nasceu após uma consulta pública que mapeou às principais necessidades apontadas pelos usuários e ciclo ativistas que frequentam o local", explica Daniel Moral, da Eureka Coworking, idealizador da proposta.

O resultado será um projeto mobiliário urbano que nasce com a ideia de "hackear" a praça existente - ou seja, produzir peças que serão acopladas nos elementos já pertencentes ao local, evitando uma obra civil muito grande - além de criar uma arte pública interativa. Mudanças serão visíveis em toda estrutura atual.

 

A mureta do canteiro central, onde as pessoas já se sentavam, receberá um banco circular. Os guarda corpos, atualmente utilizados para apoiar as bicicletas, servirão como paraciclos. Bebedouro, internet wifi, tomadas, ferramentas e bomba para encher os pneus das bicicletas, além de uma nova iluminação, também farão parte do projeto.

"A horta, característica fundamental da praça hoje, será revitalizada e tratada como o coração do projeto. O espaço verde, que hoje se encontra no canteiro central, será expandido para as duas grandes aberturas que revelam o túnel, onde serão acopladas floreiras nos guarda corpos existentes", detalha o arquiteto Guto Requena, que assina o projeto em colaboração com Plural LAB e conta com o paisagismo de Daniela Ruiz.
 

A nova horta terá o cultivo das PANC's (plantas alimentícias não convencionais). Já as floreiras serão compostas por plantas que atraem agentes polinizadores tão raros no ambiente urbano como abelhas, pássaros e borboletas.

Todo mobiliário urbano que irá hackear a praça, será confeccionado em metal, com pintura branca. As três grandes estruturas resultantes desse projeto (a horta central e as duas aberturas para o túnel) se tornarão três grandes luminárias urbanas à noite. Bicicletas que geram energia serão instaladas, convidando os usuários a pedalarem e contribuírem com a iluminação do local.

Homenagem às vítimas de atropelamentos - Uma obra de arte urbana interativa de realidade aumentada fará parte do projeto. Criada pelo arquiteto Guto Requena, o "jardim musical dos ciclistas", servirá como um memorial de homenagem aos que morreram no trânsito em São Paulo. Para acessá-lo, o visitante precisará apenas direcionar sua câmera de celular para as floreiras e visualizar as borboletas virtuais que voam e carregam o nome das vítimas.

 

Ao clicar nelas será possível ouvir a música favorita daquele ciclista, uma forma de homenageá-lo. Assim como acontece com as Ghost Bikes espalhadas por toda cidade, a obra "jardim musical dos ciclistas" pretende dar luz a enorme quantidade de ciclistas que morrem no trânsito e pressionar o poder público para que se tomem mais medidas de segurança, evitando mais tragédias.

"A nova praça surge como um espaço para todos aqueles que têm na bicicleta um meio de interação com a cidade de São Paulo, e que agora, têm naquele local um marco zero para novas partidas e chegadas " analisa Henrique Ribeiro, CEO da Sense Bike.

24 horas - A largada oficial para a nova Praça do Ciclista será feita no melhor estilo: sobre duas rodas. Na sexta-feira, 25/01, o ultramaratonista Marcelo Florentino Soares, o Mixirica, primeiro brasileiro a completar a prova ciclística de etapas mais longa do mundo, representou todos os ciclistas de diferentes gerações e estilo pedalando por 8 horas seguidas na praça. A ideia foi chamar atenção para a segurança dos ciclistas que pedalam nas grandes cidades, no último ano cresceu 12% o número de acidentes fatais com ciclistas no Estado de São Paulo.

A previsão de inicio das obras é em março, com três meses de duração. As empresas assinaram um termo de cooperação com a Prefeitura com validade de três anos. A revitalização da praça tem patrocínio da Sense Bike, Eureka Coworking e apoio da Shimano. Conta ainda com a consultoria do Portal Vá de Bike, Vanessa Tordino, Ivson Miranda, Cicloponto, Cheguei de Bike, Vereador Police Neto, Instituto, Ciclo BR, Horta do Ciclista e IMS.

 

 


 

Arquitetura
 Interiores

Comercial

 

Pavilhão Dançante | Rio de Janeiro / RJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projeto desenvolvido para as Olimpíadas Rio 2016 foi premiado com o Gold de arquitetura.

Já considerado o melhor projeto arquitetônico comercial do mundo em 2016, o Pavilhão Dançante, assinado pelo arquiteto e designer Guto Requena para as Olimpíadas no Brasil, acaba de receber a premiação Gold, categoria máxima de arquitetura do iF Design Award. Comparado ao Oscar do cinema, o If Design Award é uma das premiações mais importantes do mundo. O prêmio será entregue ao designer durante cerimônia em Munique, na Alemanha, em março.

O projeto venceu ano passado o Prix Versailles em duas importantes categorias: a MUNDIAL, também categoria máxima, e ainda foi premiado na categoria Américas com cerimônia de premiação na sede da UNESCO, em Paris. Trata-se da principal honraria para arquiteturas comerciais do planeta. Pavilhão Dançante também levou, em 2017, outro importante prêmio internacional de arquitetura e arte: o CODA AWARDS 2017, na categoria 'hospitalidade'.

 

 


 

 

 

Buscar no Portal>>

 

 

©Jizcom / https://arqbrasil.com.br  - O espaço da arquitetura brasileira