29

[VOLTAR]

 

 

05 NOV 2009

França marca presença na Bienal Internacional de Arquitetura

Exposição “Générocité” integra o Ano da França no Brasil e propõe soluções para o espaço público

A oitava edição da Bienal Internacional de Arquitetura (BIA) teve início na tarde de 31 de outubro, no Pavilhão da Bienal do Parque do Ibirapuera, na zona oeste de São Paulo, com importante participação francesa. A exposição “Générocité” é um evento oficial do Ano da França no Brasil e integra a Bienal, que vai até o dia 6 de dezembro, no 2.º andar do pavilhão, local destinado a apresentações de vários países.
   O tema deste ano da Bienal é intitulado “Ecos Urbanos” e discute a qualificação de áreas degradadas de cidades a partir de megaeventos – a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 são as referências e ganham um espaço especial no terceiro andar. Há também, no primeiro piso, uma área destinada a projetos governamentais e individuais, além de uma exposição sobre quiosques sustentáveis, desenvolvidos por estudantes de arquitetura e urbanismo.
Foto Guilherme Lara Campos / Entrelinhas    “Ecos” também representa a sigla Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade, os eixos que norteiam o conceito das mudanças que serão propostas. Por sua vez, “Générocité” também faz um jogo de palavras em francês com os termos “generosidade e “cidade” e segue a linha central da proposta da Bienal.
   Segundo o comissário da exposição e diretor do Instituto Francês de Arquitetura (IFA) Francis Rambert, “Générocité” permite uma interação total com o público, já que as maquetes expostas são seguradas por braços mecânicos móveis e permitem uma visão de 360° dos projetos. “Hoje não se constrói mais um prédio unicamente pelo monumento, pois se pensa no que ele poderá contribuir para a cidade. Desenvolvimento sustentável e generosidade caminham juntos nesse princípio”, afirmou Rambert, que citou como um dos exemplos clássicos de construção sustentável o Centro Georges Pompidou, em Paris.
   A presidente-executiva da 8.ª Bienal Rosana Ferrari afirma que a Bienal faz com que o público entenda mais sobre o trabalho do arquiteto e de sua importância para o cotidiano. “A Bienal discute as questões sociais que envolvem a arquitetura, que é também uma ferramenta de direito do cidadão. A exposição da França tem um tema condizente ao da Bienal. Foi muito apropriado, já que o arquiteto não trabalha só em projetos individuais, mas para toda a coletividade”, afirmou.
   Para o diretor do Departamento de Arquitetura e do Patrimônio do Ministério da Cultura da França Jean Gautier, “Générocité” se baseia na generosidade da arquitetura francesa contemporânea. “Nas últimas décadas, foram levantadas preocupações relacionadas ao aumento do espaço público, à superfície, à luz e ao conforto. Todas as grandes metrópoles precisam que seus espaço públicos sejam organizados, e os arquitetos passaram a contribuir para uma construção mais harmoniosa das cidades”.
   A opinião é partilhada pelo adido de cooperação e de ação cultural do Consulado-Geral da França em São Paulo Jean Martin Fidori. “A França começou a planejar há algum tempo a reabilitação de seus centros urbanos. Por exemplo, através de meios de transporte, como os veículos leves sobre trilhos. Para o público paulista é sempre interessante ter a chance de observar como os espaços públicos europeus são divididos atualmente, recusando o modelo único do automóvel”, afirmou.
   Outra presença importante no evento foi a da presidente da União Internacional dos Arquitetos (UIA), a australiana Louise Cox, que saudou o país. “A Bienal é uma grande oportunidade para entendermos melhor o funcionamento das cidades e o design urbano. Parabéns ao país por ter sido escolhido para sediar a Copa do Mundo e a Olimpíada, vocês estão em referência no mundo, portanto não percam a oportunidade”, disse Cox em seu discurso na abertura.
   Philippe Ariagno, adido cultural do Consulado-Geral da França em São Paulo, considera crucial a discussão sobre generosidade urbana e desenvolvimento sustentável. “A exposição mostra projetos destinados a mudar um pouco a paisagem da cidade. Nasceram em uma época na qual nos perguntamos como conseguiremos viver nas grandes metrópoles. Générocité pode ser um jogo de palavras, mas representa uma proposta de vida em uma cidade mais uma humana, e os arquitetos franceses de todas as gerações seguem atualmente essa linha”.
   No dia 1.º de novembro, a comissão francesa presente ao evento começa a participar de uma série de debates. Segundo a vice-presidente da Bienal de Arquitetura e curadora do Fórum Permanente de Debates Nadja Someck, as discussões vão se prolongar durante todo o evento e, além de arquitetos, trarão profissionais de outras áreas como filósofos, historiadores e sociólogos. “A Bienal serve para mostrar como a arquitetura pode melhorar as cidades. O tema do Fórum Permanente de Debates é o papel da disciplina na sociedade contemporânea. E os convidados franceses, que vão falar sobre o conceito de “Générocité”, terão uma presença muito importante, já que a França é uma referência de qualidade de vida”, afirmou. Além da “Generocité”, serão abordados temas como a região metropolitana de Paris contraposta com o modelo de Recife-Olinda.
   A oitava edição da BIA foi realizada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo (IAB-SP), organizada e promovida pela Apó Soluções e contou com o apoio e parceria de Unesco, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Monumenta, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Ministério da Cultura, das prefeituras de São Paulo, Mogi das Cruzes, Suzano, Osasco e Embu das Artes, Holcim, Pirelli, Fundação Bienal de São Paulo, TAM, Século XXI Operadora, Latin Event, Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetutra (AsBea), Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), Conselho Regional de Arquitetura – seccional São Paulo (Crea-SP), Mútua, Sindicato dos Arquitetos do Estado de São Paulo (Sasp) e União Internacional dos Arquitetos (UIA).
  
Serviço: 8ª Bienal Internacional de Arquitetura – São Paulo / Data: 31 de outubro a 6 de dezembro de 2009 / Horários: terças a quintas, das 12h00 ás 22h00; sextas, sábados domingos e feriados, das 10h00 ás 22h00 / Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo – Fundação Bienal – Parque do Ibirapuera / Ingressos: R$12,00 / www.bienalinternacionaldearquitetura.com

|TOPO|


Istituto Europeo di Design: Processo Seletivo 2010

As inscrições podem ser feitas via site até 17/11

O Istituto Europeo di Design (IED), instituição educacional européia com mais de 40 anos, recebeu credenciamento do MEC e, com isso, seus cursos passam a ser válidos como graduação. As inscrições para o processo seletivo 2010 podem ser feitas até 17/11 no Departamento de Informação e Orientação da faculdade ou pelo site www.ied.edu.br . Serão oferecidas 75 vagas (25 por período) nos cursos de Design de Produto, Design de Interiores, Design de Moda, Produção Joalheira (com ênfase em Jóias, Acessórios e Complementos), Design Gráfico e Produção Multimídia (com ênfase em Digital e Virtual Design), todos disponíveis nos períodos matutino, vespertino e noturno.
   O processo seletivo acontecerá nos dias 16, 18 e 19 de novembro. A avaliação é composta por duas provas realizadas no mesmo dia: a primeira será Redação e a outra, Expressão e Criatividade. O candidato terá 3 horas para realizá-las. No dia da prova, o candidato deve trazer RG original, cópia do formulário de inscrição, comprovante de pagamento da taxa de inscrição e os materiais artísticos constantes no edital.
   Os candidatos com avaliação superior a 50 pontos no ENEM estarão dispensados das provas [até o limite de 20% do total de vagas por curso]. Os candidatos que agendarem colóquio com o Departamento de Informação e Orientação, pelo telefone (11) 3660-8000, estarão dispensados do pagamento da taxa de inscrição.
   Os resultados estarão disponíveis a partir de 23/11 na secretaria acadêmica e as matrículas poderão ser efetuadas até 25/11

   Serviço: Processo Seletivo 2010 - Istituto Europeo di Design / Inscrições: até 17/11 – Departamento de Informação e Orientação da faculdade ou pelo site www.ied.edu.br / Data do Processo Seletivo: 16, 18 e 19/11 – na faculdade (Rua Maranhão, 617 – Higienópolis / Resultados: 23/11 – na secretaria acadêmica da faculdade / Matrículas: até 25/11 - na faculdade (Rua Maranhão, 617 – Higienópolis) / fone (011) 3660-8000 / www.ied.edu.br

|TOPO|


Arte do graffiti com produtos Suvinil é atração do Maquinária Festival

Durante os dois dias do Maquinária Festival, evento que reunirá música e arte, em 7 e 8 de novembro, grafiteiros e artistas plásticos, em parceria com a Suvinil, irão realizar “Live Paintings” (pinturas ao vivo) em dois grandes painéis ao lado do palco principal. O grupo de artistas contará com nomes conhecidos no universo da street art como Flip, Sesper, Armamento Visual, Jerry Batista, Rim Chiaradia e Teia.
   A arte do graffiti com o Suvinil Spray Multiuso, também será realizada na caixa d’água da Chácara do Jockey. O artista Flip irá decorar o local com seus personagens característicos. As pinturas serão realizadas, ao vivo, para um público estimado de 60 mil pessoas. /  www.basf.com / www.suvinil.com.br / www.maquinariafestival.com /

|TOPO|


Planetário de Foz do Iguaçu é climatizado pela Totaline

Obra conta com equipamentos com certificação de qualidade ISO e de baixo consumo de energia, como o Piso Teto Modernitá e o Hi Wall Maxi Flex

A Totaline Foz do Iguaçu, uma das marcas da SPRINGER CARRIER, subsidiária da Carrier Corp. e líder mundial no setor de ar condicionado, foi escolhida, por meio de licitação, para fazer a climatização do Pólo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, o mais novo planetário do município de Foz do Iguaçu, no Paraná.
   Equipamentos, expertise e pontualidade destacaram a empresa e a marca para a efetivação da obra. Inaugurado no dia 20 de maio deste ano, o novo Planetário conta com produtos de baixo consumo de energia e com certificação de qualidade ISO. Cinco áreas foram climatizadas: Observatório, Sala de Exposição, Telescópio e Sala de Reuniões, com aparelhos do tipo Piso Teto Modernitá, e a Sala da Administração, com o modelo Split Hi Wall Maxi Flex. Ao todo, as instalações somam um total de 62 TRs, o equivalente a 734 mil Btu’s/h.
   Além de ser uma importante ferramenta de divulgação da ciência, o Pólo entra no roteiro dos atrativos turísticos do Destino Iguaçu, que inclui Foz do Iguaçu e a região trinacional / www.carrier.com

|TOPO|


Tigre lança quadro de distribuição para voz, dados e imagem na Construir Rio 2009

A Tigre S/A, multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios em PVC na América Latina, lança na Feira Construir Rio 2009, que acontece de 10 a 14 de Novembro, um produto inovador e exclusivo no mercado brasileiro. O Quadro Sistema VDI (Voz, Dados e Imagem) é uma solução específica para integrar as tubulações, fiações, cabeamento, dispositivos para redes de voz, dados e imagem nos prédios residenciais ou comerciais.
   O produto tem como principal vantagem organizar toda a instalação em um único ponto. Mantém o design do Quadro de Distribuição Tigre para rede elétrica e pode ser instalado lado a lado.
   O Quadro Sistema VDI pode receber roteador de rede sem fio, modem, divisores de sinal de TV a cabo, e até uma mini-central telefônica.
   A Tigre estará presente na Feira em um estante de 150 m2 com outros lançamentos recentes:
   Linha PEX de tubos flexíveis PEX Tigre Monocamada e PEX Tigre Multicamadas, que tem a função principal de conduzir água quente e fria em instalações hidráulicas prediais / Linha Tigrefire, para combate a incêndios / Plastilon, a nova alternativa para fixação dos Forros de PVC Tigre / Caixa de Gordura e Caixa de Inspeção, que mantém a casa longe do mau cheiro.
   A Construir Rio é uma das feiras mais importantes da construção civil, e em 2009 espera receber 50 mil visitantes, entre arquitetos, engenheiros e profissionais do setor. Em sua 14ª edição, a feira ocupa os pavilhões 3 e 4 do Riocentro em uma área de 42 mil m2. Estarão presentes mais de 300 expositores, que deverão movimentar mais de R$ 90 milhões entre negócios imediatos e pós-feira.
   Stand da Tigre na Construir Rio 2009: Pavilhão 3 - Rua K Stand 11 / www.tigre.com.br

|TOPO|


Infox firma parceria com a ONG Asa Morena

Desde setembro, o site da Asa Morena - ONG dedicada ao esclarecimento e apoio às pessoas que possuem leucemias e outras patologias ligadas ao sangue - está no ar. A Infox, empresa especializada em tecnologia da informação, tem orgulho de ter colaborado para esse novo passo da entidade.
Segundo o diretor administrativo da empresa, Alan Rivail Gomes da
Silva Filho, a parceria nasceu de um trabalho voluntário que sua esposa faz junto à Asa Morena, participando dos eventos de cadastramento de doadores.
   A partir deste contato, a empresa ficou sabendo da necessidade que a
ONG tinha de ter o seu próprio site e das dificuldades enfrentadas antes de desenvolvê-lo. "Resolvemos ajudar orientando as pessoas quanto ao conteúdo necessário e efetuando os procedimentos de registro e hospedagem junto aos órgãos competentes", afirma.
   Com o material fornecido pela ONG, a Infox desenvolveu os trabalhos e colocou o site no ar em apenas um mês. E a parceria, segundo Alan, não acaba por aí. Atualmente, a empresa é responsável pela atualização das notícias e eventos do site.
   Sobre a Infox - Há 22 anos no mercado, a Infox desenvolve softwares sob medida e sistemas próprios para gestão de cartões de crédito e débito; automação de varejo com ênfase em lojas de materiais de construção e controle de acesso para condomínios horizontais.
   Sobre a Asa Morena - A ONG "Asa Morena - em nome da vida" nasceu de uma conversa, em dezembro de 2007, em que pessoas diferentes viram que tinham um objetivo comum para aplacar a dor da perda de um querido: a solidariedade.
   O objetivo da ONG, entidade juridicamente constituída, é levar apoio, esclarecimento e, sobretudo, esperança àqueles que tenham leucemias e outras patologias diretamente ligadas ao sangue, com indicação de quimioterapia e/ou transplante de medula óssea, transformando a realidade de muitos que sofrem. / www.asamorena.org.br  / www.infoxnet.com.br

|TOPO|


Como calcular a quantidade de tinta necessária e evitar desperdícios

Calcular a quantidade de tinta para uma obra, embora seja uma tarefa simples, tem que ser executada com atenção para evitar desperdícios e despesas desnecessárias. As classificações Econômica, Standard e Premium indicam o rendimento mínimo que a tinta proporciona e deve ser levado em consideração na hora de adquirir o produto.
   Outro fator importante é verificar a superfície a ser pintada, pois algumas, como gesso novo, reboco novo, massa niveladora, oferecem maior absorção de tinta e daí o rendimento pode variar.
   No caso de repintura, a cor de fundo da parede também influencia. Por exemplo, se a parede estiver pintada de uma cor escura e o objetivo é deixá-la mais clara, existem alguns truques como o de lixar a parede, independente se ela tem brilho ou não, remover o pó e aplicar uma ou duas demãos de tinta branca fosca para neutralizar a cor escura e só depois aplicar a cor desejada. Se a intenção é fazer o contrário, escurecer uma superfície clara, é necessário aplicar mais demãos de tinta da cor pretendida para conseguir um bom acabamento.
   William Hammam, coordenador de produtos da Tintas Futura, ensina que para evitar o desperdício ou a falta de tinta na reta final da reforma o cálculo é bastante simples:
   Em primeiro lugar, deve-se medir a área de cada parede do ambiente. Isso pode ser feito multiplicando a altura da parede pelo comprimento da superfície que irá receber a tinta. Assim teremos o m2 da parede. Por exemplo, 15 m de comprimento por 3 m de altura resultam em 45 m2. Após este cálculo, verifique o rendimento indicado na embalagem para ter certeza da quantidade de tinta necessária, lembrando que a cor escolhida pode exigir mais demãos de tintas. É muito importante atentar-se às informações de diluição e tempo de secagem entre demãos. Essa informação será de muita valia antes de diluir o produto para pintura.
   “Como medidas de portas e janelas não são subtraídas para o cálculo da área a ser pintada, já contamos com um percentual de sobra de tinta. Porém, se a superfície tiver portas e janelas muito grandes, deve-se então subtrair essas medidas.
   Mas se ainda assim faltar um pouco de tinta para concluir a reforma, existe a opção de comprar a embalagem, de 0,8 litro conhecida como quartinho. Mas Hammam alerta que este cálculo não deve ser aplicado no caso de texturas. “O desperdício é maior principalmente quando o efeito tem mais profundidade e relevo. Nesse caso, deve-se considerar grande desperdício de tinta, em média 20% a 30%”, explica.
   A sobra da tinta pode ser guardada na própria embalagem, se bem fechada, e poderá ser utilizada dentro da data de validade. Mas a tinta diluída deve ser descartada porque apodrece.

|TOPO|


 

01 NOV 2009

8a Bienal Internacional de Arquitetura, projetos serão vistos e acompanhados por mais de 200 mil pessoas

Projetos para a copa 2014, projetos profissionais e de estudantes de arquitetura e urbanismo, workshops, palestras e projeto educativo

Durante a 8ª. Edição da BIA, de 31 de outubro a 6 de dezembro, o Pavilhão da Bienal abrigará propostas e projetos instigantes, organizados segundo a temática dos ECOS URBANOS – Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade – para colocar em debate a qualificação da cidade contemporânea, sua infraestrutura e a questão do habitat humano, de interesse imediato para o grande público.
   Serão apresentadas exposições inusitadas de profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo, 6 exposições internacionais, além de 12 Workshops que discutirão as intervenções urbanas das cidades-sede dos jogos da Copa 2014 e um Fórum Permanente de Debates, com presença de renomados profissionais internacionais que irão discutir e propor novas soluções sobre o papel do arquiteto na cidade contemporânea.
   Ainda teremos exposições institucionais, intervenções artísticas assinadas pelos grafiteiros Ozi, Kobra, Jayme Prades e Carlos Matuk, instalação sobre a arquitetura do corpo assinada pela artista plástica Marina Inoue e um belíssimo projeto educativo para crianças e adolescentes, em parceria com o Instituto Tomie Ohtake.

   “A arquitetura é a relação do homem com o espaço onde ele vive, por isso ela precisa estar ao alcance de todos, e nós arquitetos temos uma grande responsabilidade em fazer com que a qualidade de vida dos cidadãos seja a melhor possível”, acredita Rosana Ferrari, Presidente do IAB/SP e também Presidente Executiva da 8ª. Edição da BIA.

   ESPACIALIDADE: “Nova relação espaço-temporal. Repensar formas de planejar e projetar o espaço de uso humano.

   Logo na entrada do prédio da Bienal, os visitantes irão se deparar com uma obra do grafiteiro Carlos Matuk e um amplo espaço do IAB-SP, realizador do evento, que abrangerá o Colégio dos Arquitetos e as instituições: Asbea, Abap, FNA e o conselho profissional dos arquitetos: CREA, CONFEA e MUTUA. Além das livrarias especializadas em arquitetura e urbanismo e empresas de produtos, serviços e materiais na área da construção civil, principalmente.

   CONECTIVIDADE: “Equilíbrio estrutural dos diversos sistemas urbanos: mobilidade, permanência e interatividade” – Conexão e Criatividade Projetual.

   Nessa área, localizada no primeiro piso do pavilhão da Bienal, estarão as exposições institucionais, uma obra do grafiteiro Kobra, além do espaço da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e Expo Municípios.

   A arquiteta Fernanda Marques montará um lounge com seus bancos infinitos, construídos especialmente para a 8ª. BIA.

   A Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo apresenta uma exposição dos principais empreendimentos culturais da atual gestão, além de uma linha do tempo em comemoração aos 30 anos do órgão.

   Estarão à mostra na Bienal os projetos das nove Fábricas de Cultura, edifícios em construção em pontos da cidade de São Paulo de alto índice de vulnerabilidade juvenil; o da nova sede do MAC-USP, em instalação no edifício que foi ocupado até este ano pelo Detran, na região do Ibirapuera; o do Museu da História de São Paulo, que ocupará a antiga Casa das Retortas, no bairro do Brás; o do Complexo Cultural – Teatro de Dança, a ser construído ao lado da Sala São Paulo, na Luz; os das Escolas de Circo, no bairro do Belenzinho, e de Teatro, na Praça Roosevelt; o da Biblioteca de São Paulo, no Parque da Juventude, Carandiru; e o do novo alojamento do auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão.

  EXPO Municípios - Os governos das cidades de Embu das Artes, Mogi das Cruzes, Osasco e Suzano apresentam uma amostra do que acontece na região metropolitana de São Paulo, com projetos e obras governamentais que visam à melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos.

   Estará exposto um conjunto de ações, projetos e propostas, num processo de qualificação urbana de áreas degradadas em centros urbanos e metropolitanos, conjugando recursos e iniciativas das esferas pública e privada das cidades contemporâneas, tendo a arquitetura e o urbanismo o elemento fundamental na transformação do espaço urbano.

   EXPO Monumenta/IPHAN - Os 48 painéis da exposição apresentam basicamente a linha do tempo com os marcos da construção do Programa Monumenta/Iphan do Ministério da Cultura, desenvolvido com financiamento do BID e em parceria com a UNESCO, e os resultados de seus dez anos de atuação.

   Entre esses, destacam-se o estabelecimento da lista de prioridades de intervenção para a conservação de sítios e conjuntos históricos urbanos, com 101 registros, e a seleção das 26 cidades beneficiadas com cerca de 900 obras programadas ou concluídas, somando 51 praças, 8 orlas, 10 mercados, 4 parques, 2 universidades, 99 edifícios históricos, 28 igrejas e 41 intervenções de significativo impacto urbano. Além disso, o Monumenta criou uma linha especial de financiamento para a recuperação de imóveis privados em núcleos históricos, que já conta 235 imóveis restaurados, 332 obras contratadas e quase 500 propostas em análise.

   A exposição também oferece uma amostra dos outros projetos apoiados pelo programa. São 52 projetos para a promoção de atividades econômicas em sítios históricos, 22 para a promoção de atividades culturais, 15 roteiros turísticos, 17 iniciativas de capacitação profissional e curso para a formação de 34 mestres artífices em restauração, treinados no Centro Europeu de Veneza, na Itália. Já seu projeto editorial – cujos títulos focam a pesquisa, divulgação e valorização do patrimônio histórico e artístico brasileiro – tem 48 livros publicados e outros 17 programados para 2010. As publicações estarão expostas em estande próprio.

  ORIGINALIDADE: “Nova energia criativa nas atividades econômicas e ao enriquecimento coletivo no meio urbano” – Soluções Originais

   Nos segundo piso da Bienal estarão expostos projetos internacionais inéditos no Brasil, exposição de projetos de profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo sob o tema ECOS URBANOS, uma exposição de projetos premiados pelo IAB, Senac, além de um grafite do artista plástico Ozi.

   EXPO Profissionais - Exposição de 106 projetos e obras de arquitetura e urbanismo, nacionais e internacionais, de profissionais de arquitetura e urbanismo, que serão apresentados através de painéis com fotos, projetos e textos, ou maquetes.

   Com essa exposição, busca-se através das experiências individuais, da atuação dos arquitetos nos diversos campos da arquitetura e urbanismo, a contribuição para a construção, ou revisão, do habitat humano – dos objetos, das edificações, do espaço comum, da paisagem, da cidade e tem como finalidade mostrar a produção internacional contemporânea da arquitetura e urbanismo, e também promover debates a respeito da contribuição atual das intervenções arquitetônicas e urbanísticas para a construção dos lugares da sociedade contemporânea e futura, no que tange a temática de ECOS URBANOS: Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade.

  Os trabalhos selecionados serão julgados por um segundo Júri Internacional, podendo receber prêmios e menções honrosas, além de prêmios em 7 áreas: projeto de edificações, projeto urbanístico, projeto paisagístico, projeto luminotécnico, projeto de comunicação visual ambiental, projeto de mobiliário e interiores e arte urbana.

Expo Internacional - Reunirá exposições de obras e projetos de países e cidades, voltadas à questão da qualificação urbana. São trabalhos indicados pelos Governos e Representações Oficiais dos países convidados, através de projetos de arquitetos notórios e de relevância para a qualificação arquitetônica, urbana e de sustentabilidade do Planeta.

   Exposições confirmadas: Alemanha, França, Holanda, Hong Kong, Itália, Nova York e Portugal.

   Alemanha – Com o apoio do Ministério Federal dos Transportes, Obras e Desenvolvimento Urbano da Alemanha, a contribuição alemã tem como título “CIDADE PARA TODOS”. Sob a curadoria da IBA Hamburg GmbH, propõe discutir que conceitos temos para o futuro das cidades através de três perguntas: Como todas as pessoas podem ter acesso aos benefícios das cidades? / Como tornar as áreas degradadas de nossas cidades em locais dignos de se viver? / Como proteger o nosso clima e os nossos recursos?

   Seus projetos demonstram que estas imagens de futuro não são uma utopia e todos podem dar sua contribuição para a agenda urbana do século XXI.

  Durante as duas primeiras semanas de trabalho, especialistas e estudantes alemães e brasileiros trabalharão em uma oficina de projetos na exposição juntamente com representantes da cidade de Diadema em uma tarefa urbanística concreta, para a periferia da metrópole paulistana. Os resultados serão expostos logo em seguida diretamente no local. No ano de 2010 os brasileiros viajarão para fazer a visita de contrapartida em Hamburgo para ali juntamente com participantes alemães cumprir uma tarefa análoga na área de apresentação da Exposição Internacional de Hamburgo (IBA). Paralelamente, a contribuição alemã da Bienal de Arquitetura de São Paulo poderá ser vista em Hamburgo.

   Holanda - O Netherlands Architecture Institute (NAI) apresenta a exposição “Arquitetura de Conseqüência” (Architecture of Consequence) sobre a qual pretende articular a necessidade de uma mudança, das tarefas espaciais para as tarefas sociais. A noção de que a arquitetura deveria ser uma expressão de seu tempo ou do poder de seus comissários torna-se insignificante quando comparada ao seu valor na solução de problemas sociais.

   "Dar forma ao nosso País ", um projeto de seis meses em âmbito nacional recentemente organizado pelo NAI, convidou o seu público a debater sobre o ordenamento do território na Holanda e resultou em uma avalanche de idéias e reações. A exposição, que conta com o lançamento de um livro, se propõe a explorar essas informações e chegar a conclusões sobre a arquitetura para a inovação disciplinar e social.

   Hong Kong – A participação oficial de Hong Kong para a 8ª. Edição da BIA, está a cargo do Departamento de Arquitetura da Universidade de Hong Kong e está intitulada Hong Kong ECHOES. A exposição apresenta pesquisa com várias abordagens para a cidade contemporânea. Organizado pelo Prof. Ralph Lerner, sob a curadoria da dos professores Christian Lange, Stephen Lau, Thomas Tsang, John Lin, Joshua Bolchover, Eunice Seng, Jonathan D Solomon e Tom Verebes, Hong Kong apresenta os seguintes projetos: Material Digital / Topologias Paramétricas / Caleidoscópio de Hong Kong: Paisagens de dentro e abaixo / Resistência ao clima / Ecologia Rural e Urbana / Reconstruindo a Utopia: Visões da arquitetura do pós-guerra / Caminhos da História: Modelagem Espacial dos Shoppings de Hong Kong / Tipos de Protótipos e Sistemas

   Portugal – Portugal apresenta a exposição chamada Cinco Áfricas/Cinco Escolas com o propósito de ser positiva e útil, através de ações que não se esgotam nessa mostra. São trabalhos que apresentam situações criadas especificamente para a 8ª. BIA, que seguirão caminhos previamente direcionados sobre a ideia de uma cidade mais democrática e inclusiva. Os trabalhos não aparecerão envoltos em orçamentos milionários, como se fosse impossível propor conforto, solidez e beleza a um custo mais modesto.

   Propositadamente, o olhar foi voltado para África e para os países de língua oficial portuguesa que nos afeta historicamente. São jovens nações, conhecidas como grandes carências, que se debatem no sentido da construção de sociedades mais justas e democráticas, em meio a enormes desequilíbrios provocados pela irracionalidade econômica mundial. O tema da educação e das construções não pôde deixar de ser tocado, estimulado e debatido.

   O intuito das cinco equipes envolvidas na mostra de Portugal é a realização efetiva desses projetos, uma vez que todos foram ao exato local onde as escolas serão construídas para verificar in loco as necessidades das comunidades e seus anseios.

   Expo IAB – Panorama da Arquitetura Brasileira - Exposição de obras e projetos abrangendo os diversos campos da arquitetura e urbanismo a partir de eventos realizados pelos Departamentos do IAB nos últimos quatro anos (2006-2009), compreendendo: Premiações, Concursos, Mostras Especiais entre outros. A Expo IAB tem como finalidade divulgar a produção da arquitetura brasileira contemporânea e apresentar a importância do IAB no processo de reflexão, revisão e concepção do pensamento da arquitetura de uma determinada época.

   EXPO SENAC - Exposição de fotos das obras de prédios do SENAC, em dez cidades brasileiras.

   Expo Estudantes - A EXPO Estudantes apresentará 50 projetos selecionados de estudantes nacionais e internacionais de arquitetura e urbanismo e tem como objetivo atrair estudantes para a criação de projetos que proponham melhorias na qualidade de vida da cidade. O tema desenvolvido pelos estudantes são quiosques instalados em parques públicos da cidade, com certa infraestrutura de serviços como banheiros públicos, sala de apoio, segurança, lanchonete e acesso à rede bancária.

   SUSTENTABILIDADE: “Diminuir os impactos negativos sobre o meio ambiente, promovendo uma sociedade mais saudável” – Construção de espaços sustentáveis

   No terceiro piso da Bienal será palco de grandes debates e discussões que promoverão novas propostas para a cidade contemporânea. Durante toda a Bienal haverá um fórum Permanente de Debates, sob o tema principal “O Papel do Arquiteto na Cidade Contemporânea” e doze Workshops que irão discutir a qualificação urbana em cidades-sede dos jogos da Copa 2014. Além disso haverá uma obra do grafiteiro Jayme Prades, o Projeto Educativo em parceria com o Instituto Tomi Ohtake, onde haverá atividades para os jovens visitantes, a EXPO COPA 2014 com os projetos das obras para as cidades-sede dos jogos no Brasil e uma exclusiva exposição de obras de arte do acervo da Pirelli, comemorando os 80 anos da marca no país.

   Fórum Permanente de Debates - O Fórum Permanente de Debates acontecerá no auditório do MAC, e contará com uma programação de palestras nacionais e internacionais e respectivos debates com ênfase na questão da qualificação urbana a partir de megaeventos e sobre o Papel do Arquiteto na Cidade Contemporânea, sob as vertentes do tema ECOS URBANOS: Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade. Já estão confirmados nomes como o suíço Jacques Herzog, o espanhol Jordi Farrando, os portugueses Nuno Portas e Manuel Graça Dias, o italiano Roberto Zancan, entre outros.

   Workshops | Qualificação Urbana em Cidades-Sede da Copa 2014

   Com foco em propostas de qualificação urbana nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, serão realizados 12 workshops com o objetivo de apresentar ideias para o enriquecimento das propostas de qualificação urbana previstas nas cidades que receberão a Copa do Mundo de Futebol no Brasil, em 2014, aumentando a integração de arquitetos em um assunto importante e de interesse público.

   Coordenador dos Workshops : Arq. Wilson Edson Jorge / Consultoria: Arq. Carlos de La Corte, da Comissão da Copa 2014 da FIFA. Participarão ainda membros das equipes de pesquisa da cooperação científica entre o NUTAU/USP - Núcleo de Pesquisa em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo e LERI - London East Research Institute, sob a coordenação dos professores Lamartine DaCosta (NUTAU/USP) e Álvaro de Miranda (LERI).

   Projeto Educativo ECOS URBANOS para crianças e adolescentes

   Em parceria com o Instituto Tomie Ohtake, o programa de atendimento ás escolas públicas e particulares em visita a 8ª. BIA, será através de atividades educativas relacionadas ao tema ECOS URBANOS – Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade.

  A Bienal será transformada em um grande espaço de aprendizagem, proporcionando ao público escolar e visitantes mirins a vivência de experiências educativas, estimulando a reflexão sobre as questões relacionadas a sustentabilidade urbana, fomentando atitudes transformadoras.

   Expo Copa 2014 - Exposição de projetos das arenas esportivas e intervenções urbanas em planejamento para as 12 cidades-sede dos jogos da Copa 2014. Manaus, Natal, Fortaleza, Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Salvador e Cuiabá.

   Pirelli 80 Anos - Exposição do acervo fotográfico Pirelli | MASP em comemoração aos 80 anos da Pirelli no Brasil. / www.8bia.com.br

|TOPO|


Zanettini Arquitetura e Panamericana Escola de Arte e Design abrem exposição A BOA ARQUITETURA DE UMA GERAÇÃO
Mostra conta com 18 arquitetos brasileiros ícones no cenário mundial

A boa arquitetura de uma geração, os arquitetos reunidos

Novos rumos, conceitos inovadores, quebra de paradigmas e acima de tudo uma arquitetura de excelente qualidade que busca inspirar a produção brasileira. Com linguagem poética, a exposição A BOA ARQUITETURA DE UMA GERAÇÃO chega com o objetivo de estimular a reflexão sobre a importância do trabalho desenvolvido por um grupo de 18 profissionais, são eles: Aflalo&Gasperini Arquitetos, Botti Rubin Arquitetos, Candido Malta Campos Filho, Carlos Bratke, Dácio Ottoni, Decio Tozzi, Eduardo de Almeida, João Filgueiras Lima – Lelé, João Walter Toscano, Joaquim Guedes – in memoriam, Paulo Bruna, Paulo de Mello Bastos, Paulo Mendes da Rocha, Reinaldo Pestana, Roberto Loeb, Ruy Ohtake, Sidonio Porto e Siegbert Zanettini.

Sidonio Porto, Enrique Lipszyc, Ruy Ohtake, Zanettini, Alex Lipszyc, os livros e a exposição
   “Aqui reunimos uma geração que conseguiu cumprir o importante desafio de realizar a boa arquitetura dos últimos 50 anos” diz Zanettini, arquiteto idealizador da exposição. O grupo traz profissionais renomados no cenário mundial, dedicados tanto à realização de seus projetos quanto à arte de transmitir conhecimento, um legado importante para sociedade brasileira.
   “Essa é uma exposição que reúne trabalhos de arquitetos que, literalmente, pensaram e projetaram o país. Isso vai muito além do ato de construir edificações. Quem visitar a exposição poderá entender o processo de criação desses mestres da arquitetura. É uma mostra que usa a imagem para extrapolar o aspecto visual puro e técnico embutido em qualquer projeto”, afirma Alexander Lipszyc, diretor da Panamericana Escola de Arte e Design e curador do evento.
  
AFLALO & GASPERINI ARQUITETOS - Aflalo & Gasperini Arquitetos é a sucessora de Croce, Aflalo & Gasperini Arquitetos Ltda., que foi fundada em 1962 pela união dos escritórios Plinio Croce/Roberto Aflalo com o de Gian Carlo Gasperini. Após o falecimento do arquiteto Plinio Croce em 1984, e do arquiteto Roberto Aflalo em 1992, o escritório está sob a direção dos arquitetos Gian Carlo Gasperini, que conta com mais de trinta anos de atividade acadêmica na FAU-USP, Roberto Aflalo Filho, mestre em Desenho Urbano pela Universidade de Harvard e Luiz Felipe Aflalo Herman. É um escritório dedicado exclusivamente a projetos arquitetônicos e urbanísticos. Em 34 anos de atividade profissional elaborou mais de 700 projetos, a maior parte em território brasileiro, tendo também participado de projetos no exterior.
   Descritivo do projeto - Edifício comercial em Brasília – Este projeto explora as possibilidades de implantação dentro do envelope edificável do plano diretor de Brasília, em um terreno com posição privilegiada, que captura uma ampla vista do Lago Paranoá e da Esplanada dos Ministérios. A solução arquitetônica está na angulação das fachadas internas que abrem vistas da cidade e quebram com o paralelismo entre os edifícios, transformando o espaço mais problemático do projeto em um dos mais interessantes. Esta premissa norteou todo o desenvolvimento do empreendimento, organizando as circulações, acessos, orientação das fachadas e distribuição dos programas. O uso de formas puras e ortogonais que caracterizam o conjunto construído, a liberação do pavimento térreo elevado em pilotis e o tratamento de fachada com elementos de sombreamento inserem o projeto na cidade respeitando e agregando valor contemporâneo à capital brasileira, ao mesmo tempo em que se destaca na paisagem com forte identidade visual e caráter único.
  
BOTTI RUBIN ARQUITETOS - O Escritório Botti Rubin Arquitetos foi criado em São Paulo pelos arquitetos Alberto Rubens Botti e Marc Rubin, ambos formados pela Faculdade de Arquitetura Mackenzie no final dos anos 50. Possui mais de 800 projetos desenvolvidos entre escritórios, shopping centers, instalações institucionais, museus, teatros, planos urbanísticos, entre outros. A sociedade dos dois profissionais provou ser duradora, talvez pelas diferenças de temperamento e interesses. Botti mais voltado para o planejamento urbano e para uma atuação política; Rubin na sua preocupação de temperar a intuição criativa com um raciocínio gerador de conceitos inovadores.
   Descritivo do projeto - Edifício Landmark – Localizado na Avenida das Nações Unidas, em São Paulo, teve o projeto iniciado em 2005 e possui uma área construída de 58 mil metros quadrados. A empresa contratante é a Tishman Speyer Properties/Company. O empreendimento está localizado em terreno privilegiado, situado em frente ao Rio Pinheiros. O destaque do projeto, que possui altura reduzida em relação aos vizinhos, fica para o volume resultante do desenho da planta ovalada, que se destaca frente aos espigões do entorno.
  
CANDIDO MALTA CAMPOS FILHO - Reconhecido pela opinião pública como um dos mais importantes arquitetos e urbanistas brasileiros, Candido Malta Campos Filho é doutor em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP e pós-doutor pela University of California at Berkeley, UC BERKELEY, EUA. Possui uma vasta produção arquitetônica, desde projetos institucionais como o da Escola Técnica Federal de São Paulo, de 1969, até infra-estruturais como o Aeroporto de Florianópolis, do ano de 2004. Projetou residências especiais, como a Casaice para Maria Alice Franciosi. Desenvolveu inúmeros planos urbanísticos de bairros, com destaque para o de Perus, feito para a Prefeitura do Município de São Paulo, condomínios e parques, além de ter desenvolvido planos diretores para diversas cidades. Um Plano Urbanístico deve ser destacado, o do Eixo Tamanduateí para a Prefeitura do Município de Santo André que inovou com a proposta do tecido urbanístico dos prédios pontes.
   Descritivo do projeto - Casatuba – é uma casa onde o chão sobe pelas espessas paredes e cobre o teto de alvenaria recoberto, por sua vez, de terras e plantas, produzindo um invólucro natural, porém regulável por suas aberturas conforme a variação do tempo, se fechando durante épocas frias e se abrindo para o calor. Esta residência possui, ainda, a característica mutante em sua estrutura interna, que pode separar ou integrar ambientes, o que resulta em uma obra aberta, conforme proposto por Umberto Eco, adaptando-se às variações climáticas e ao desejado “Clima Socioambiental” interior. O projeto foi desenvolvido entre 1976 e 1980.
  
CARLOS BRATKE - O Escritório Carlos Bratke foi fundado em 1968 e desde então vem desenvolvendo projetos em diversas áreas, desde residenciais até plantas industriais. Entre seus principais trabalhos está um complexo de instalações na Avenida Eng. Luís Carlos Berrini, em São Paulo, com 60 projetos construídos, e uma área aproximada total de 650.000 metros quadrados. Formado em 1967 pela Faculdade de Arquitetura Mackenzie, Bratke recebeu vários prêmios, entre os quais estão o Grande Prêmio III Bienal Internacional de São Paulo, em 1997, Prêmio Colar de Ouro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), em 1999, “Vitrúvio 99” de Arquitectura Latinoamericana do Museo Nacional de Buenos Aires, em 1999. Foi presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) no biênio 1992/1993, diretor do Museu da Casa Brasileira (MCB), gestão 1992/1995 e presidente da Fundação Bienal de São Paulo, gestão 1999/2002.
   Descritivo do projeto - Brigadeiro 1 – O terreno de 900 metros quadrados situado na Av. Brigadeiro Luis Antonio, São Paulo, estava sujeito a restrições da SEHAB (Secretaria da Habitação), do COMPRESP (Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo) e do CONDEPHAT (Conselho de Desefa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico), que determinavam a implantação de um imóvel comercial, com construção sofisticada e muito bem equipado em suas instalações técnicas. O resultado é uma arquitetura inovadora com desenho de prisma em forma de L, além de uma cobertura curva que se estende do chão até a parte mais alta da construção. O edifício, com dois subsolos, dois andares e mezanino com estrutura parcialmente executada em concreto protendido e em aço, é vedado com fachadas de vidro atérmico e caixilhos do tipo Silicone Glasing. Interessante notar que o concreto protendido vence vãos de 12 metros quadrados.
  
DÁCIO OTTONI - Dácio Araújo Benedicto Ottoni formou-se em arquitetura pela FAU-USP em 1960 e tornou-se doutor em 1973 pela mesma instituição, onde atua também como professor. Sua carreira foi influenciada, primeiro, pelo próprio convívio familiar, já que seu pai era engenheiro civil construtor de ferrovias e seus irmãos estudavam arquitetura, depois como aluno e participando na organização de exposições e grupos de estudos sobre o pensamento e as obras produzidas por arquitetos marcantes, como Frank Lloyd Wright, Lúcio Costa e Mies van der Rohe. Ao longo de sua carreira trabalhou no escritório Horizonte Arquitetos, empresa que fundou com quatro amigos e foi diretor do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). Em 1973 abriu seu próprio escritório: Ottoni Arquitetos Associados.
   Descritivo do projeto - Edifício Nova São Paulo – Localiza-se na Granja Julieta, junto ao verde da Praça Embargador Ciro Freitas Vale, ponto de interligação entre duas avenidas arborizadas que atravessam a região de Santo Amaro. O edifício foi projetado na parte central de sua quadra, destinando todo o entorno a jardins e estacionamentos arborizados. Áreas verdes nas lajes de cobertura e jardineiras junto às fachadas foram implantadas para integração e continuidade visual com a paisagem da região. A incidência solar ao longo do dia foi avaliada para a colocação de proteções verticais, possibilitando uso agradável do seu interior, a vista aberta para o exterior e a redução de energia para uso de ar-condicionado e iluminação. O edifício foi projetado em 1980 pelos arquitetos Dácio Ottoni, David Ottoni e Ubaldo Carpigiani, ganhadores do concurso destinado à construção de sede da empresa Gessy Lever em São Paulo e atualmente é de propriedade da Brazil Realty.
  
DECIO TOZZI - Graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Decio Tozzi foi professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie e da Universidade de São Paulo. Foi premiado nas I, III, e V Bienais Internacionais de Arquitetura de São Paulo. Premiado também na V Bienal de Arquitetura de Buenos Aires (Concurso Internet) e na X Bienal de Arquitetura de Veneza (Celebration of Cities). Publicou e lançou o livro “Arquiteto Decio Tozzi” em 2005, na VI Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, onde teve Sala Especial, e recebeu o Prêmio Internacional de Arquitetura Sacra da Fondazione Frate Sole na cidade de Pavia, Itália, em 2008. Recentemente teve quatro obras incorporadas ao Acervo Permanente do Musée National D’Art Moderne do Centre Pompidou de Paris.
   Descritivo do projeto - Rua Comercial Oliveira Lima – No contexto do projeto global de revitalização da área central da cidade de Santo André, o eixo da Rua Oliveira Lima assumiu a prioridade e constituiu a primeira intervenção física desse processo de reurbanização. A solução adotada propõe implantar sobre a antiga estrutura física dessa rua um desenho que a transforme e crie um “shopping de rua”, conferindo à nova Oliveira Lima as mesmas condições de abrigo e conforto de um shopping tradicional. Além de integrá-la à vida urbana do setor central de Santo André. Entre as soluções adotadas, o projeto conta com uma cobertura transparente composta de estrutura espacial metálica curva e protegida por encaixilhamento de vidro laminado transparente. Esse novo shopping terá galerias superiores de lojas em ambos os lados. Nas interfaces com edifícios altos, a cobertura afasta-se até o eixo central, deixando o espaço livre para insolação e aeração. Os edifícios de três andares abrem suas janelas e varandas para a rua, integrando-se naturalmente ao novo espaço. O painel do piso com 500 metros de comprimento, bem como as peças escultóricas foram desenhadas pelo grande artista concretista Luiz Sacilloto.
  
EDUARDO DE ALMEIDA - Arquiteto formado pela FAU-USP em 1960, Eduardo de Almeida foi professor na área de Projeto na FAU de 1969 até 1998. É autor de projetos de usos variados, com grande destaque para as residências que projetou ao longo de 40 anos de atividade. Estão entre elas a casa Define, de 1978, a casa da encosta, de 1973, as casas gêmeas em abóbadas, de 1970 e a casa do arquiteto, de 1974. Nas últimas bienais de arquitetura, recebeu prêmios pela casa em Ubatuba (2001), casa sede da fazenda Água Comprida em Uberaba (1997), e foi homenageado com sala especial na Bienal de Arquitetura de 2005.
   Descritivo do projeto - Residência familiar Eduardo de Almeida – A segunda casa que o arquiteto Eduardo de Almeida projetou para sua família data de 1974. Foi concebida como um grande volume fechado para a rua, com os espaços de permanência voltados para o fundo do terreno, que corresponde à face noroeste. A residência está organizada a partir de dois vazios: o pórtico da garagem, acessado por meio de uma ponte sobre a cozinha, e o pátio da rampa, que se abre no nível inferior para o jardim, abarcando a piscina. O bloco de concreto estrutural foi usado como modulação para a organização do espaço, tanto em planta como em corte. A estrutura modulada está contida nos blocos e incorporada a sua paginação.
  
JOÃO FILGUEIRAS LIMA (LELÉ) - João Filgueiras Lima, mais conhecido como Lelé, é o arquiteto responsável pelo conjunto de projetos da Rede Sarah Kubitscheck de hospitais em todo país. Formou-se na Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ), em 1955. Lelé foi pioneiro na construção de Brasília e um dos primeiros parceiros de Oscar Niemeyer no desenvolvimento dos estudos e propostas para a nova capital. Desde então, seu interesse profissional busca o aprimoramento de tecnologias da construção industrializada para obras de interesse social, tais como saneamento urbano, escolas, estações de transporte urbano, passarelas e hospitais. Sua obra caracteriza-se especialmente pela busca da racionalização do projeto, com o uso do aço, concreto armado e tecnologia de construções pré-fabricadas. Atualmente Lelé é o presidente do Instituto Brasileiro de Tecnologia do Habitat (IBTH), com sede em Salvador. Em 2003 recebeu o título de professor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia.
   Descritivo do Projeto - Hospital Sarah Rio de Janeiro – A implantação da unidade do Rio de Janeiro se configura como uma etapa importante de expansão da Rede Sarah de Hospitais, estendendo também à região Sul-Sudeste serviços públicos de assistência médica com padrão de excelência reconhecido internacionalmente. O projeto começou a ser executado em 2002 e foi inaugurado em 2009.
  
JOÃO WALTER TOSCANO - Nascido em Itú, São Paulo, 1933, e formado em Arquitetura pela Universidade de São Paulo, em 1956. Professor Doutor do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da FAU-USP, Bolsista da ASTEF, França 1963/64 e da Fundação Calouste Gulbenkian, Portugal, 1971. Entre suas obras mais importantes constam: Plano Diretor do Município de Itú (1966), Diagnóstico Geral da Cidade de Itú /Programa de Ação Cultural (1984), Campus Universitário de Araraquara e Rio Claro, o Balneário de Águas da Prata (1972), a Estação Largo Treze de Maio, Estação de Metrô Pêssego, Centro de Ciências da USP, Praça do Monumento do Ipiranga, Terminal Princesa Isabel, Pátio Vila Sonia / Metrô e Edifício dos Laboratórios – USP, Ribeirão Preto. Suas obras foram premiadas na Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires, 1987, e Bienal Mundial de Arquitetura de Sophia/Bulgária, 1987, 3ª. Bienal Internacional de Arquitetura / São Paulo, 1997, 4ª. Bienal Internacional de Arquitetura / São Paulo, 1999 e IX Congresso Brasileiro de Arquitetos – São Paulo, 1976. Recebeu ainda os prêmios: Prêmio A.P.C.A. – Melhor Arquitetura de 1984; Prêmio Rino Levy – IAB-SP, 1974. Publicação no Dictionnaire de L' Architecture du XX Siècle, Editions Hazan - Paris, 1997. Sua Obra pertence ao Acervo permanente do Museu de Arte Moderna do Centro Pompidou de Paris, 2009.
   Descritivo do projeto - Estação Largo 13 de Maio – A escolha da área para a estação Largo 13 de Maio, na Zona Sul da cidade de São Paulo, se apóia na importância do eixo constituído pelo prolongamento da avenida Padre José Maria. A área do projeto compõe-se de uma faixa de terreno de 20 metros de largura, entre a ferrovia e a avenida marginal, ao longo do Rio Pinheiros. Além de absorver as funções a que se destinava, o projeto procurou manter a identidade da estação através de uma solução arquitetônica que exprime claramente a organização espacial, o sistema estrutural e o tratamento particular de cada um dos elementos. O resultado é um conjunto compacto e articulado de volumes: a gare, a torre e a passarela. A primeira se assenta sobre a linha férrea, seguindo o desenho da avenida marginal. A torre do relógio, elemento vertical que marca o edifício, é importante ponto de referência visual e resgata características tradicionais de estações de trem. Já a passarela encaixa-se no sentido perpendicular e acompanha o traçado da Avenida Padre José Maria, fazendo a travessia da via marginal e definindo o único acesso à estação.
  
JOAQUIM GUEDES - (in memoriam) - Formado arquiteto pela FAU-USP em 1954, Joaquim Guedes obteve em 1972, o título de doutor e em 1980 defendeu sua tese de livre-docência, ambos na mesma instituição. Possui uma extensa obra que inclui aproximadamente 500 projetos, desde pequenas casas até planos urbanísticos, tendo feito ainda, desenhos de objetos e jóias. De sua produção, podemos destacar a residência adquirida pelo então casal Eduardo e Marta Suplicy, e a casa criada para Valdo Perseu. Guedes projetou a Igreja da Vila Madalena e fez a reforma do Tuca – PUC-SP. Durante o ciclo da mineração, na década de 70, planejou as cidades de Carajás (PA), Marabá (PA), Barcarena (PA) e Caraíba (BA), nesta última teve a oportunidade de desenhar e detalhar todos os seus edifícios. Foi professor na Escola de Arquitetura de Estrasburgo, na França, e recebeu diversos prêmios no Brasil e no exterior, sendo um deles, em 2003, a Comenda Colar de Ouro do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), instituição da qual também foi presidente do departamento estadual, em São Paulo.
   Descritivo do projeto - Residência Mariani – Tijolo como material para construção, vedação, piso e revestimento da estrutura de concreto, utilizado na forma aparente com junta raspada. A cobertura em plano único, feita em telha ondulada de fibrocimento com caimento em sentido transversal ao do terreno, define os volumes dos ambientes e da casa. O resultado é uma sala com pé direito alto e uma grande abertura envidraçada voltada para face nordeste, que captura o sol da manhã e do inverno. O uso de madeira convencional nos caixilhos e forros complementa o conjunto de elementos que caracterizam a busca pela simplicidade formal.
  
PAULO BRUNA - Paulo Bruna graduou-se em arquitetura em 1963, ano em que se tornou professor da FAU-USP. Doutorou-se em 1973 e fez pós-doutorado no Massachusetts Institute of Technology (MIT) em 1985. Em 1999 obteve a livre docência com a tese “Os Primeiros Arquitetos Modernos. Habitação Social no Brasil 1930 – 1950”. Entre os anos de 1972 e 1991 foi sócio-diretor do escritório Rino Levi Arquitetos Associados, de 1979 a 1983 foi diretor de planejamento da Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo (Emurb). Já o Escritório Paulo Bruna Arquitetos Associados foi criado em 1992, em parceria com o arquiteto Roberto Cerqueira Cesar. Paulo Bruna possui inúmeros clientes dentre os quais alguns industriais como Unilever, BDF Nívea, St. Jude Medical, Braskem, Kimberly Clark e etc. Também é dele o projeto do novo Teatro Cultura Artística, com previsão de inauguração em 2012.
   Descritivo do projeto - Ática Shopping Cultural – Com o objetivo de desmistificar o conceito elitista de cultura e leitura no Brasil, esta mega-livraria foi projetada para criar um local agradável ao encontro e permanência de pessoas. Situada entre a principal universidade do país e um bairro reconhecido por sua vida cultural e boemia (Vila Madalena), com amplo acesso pela Rua Pedroso de Morais e distante poucas quadras da estação Faria Lima, sua localização foi fruto de um estudo acurado. O edifício com sete pavimentos e uma área construída de 7.643.00 metros quadrados, abre-se para a Praça do Omaguás, que foi restaurada e incorporada visualmente ao empreendimento. O primeiro subsolo foi feito para a música, com CDs e DVDs. O térreo é parcialmente ocupado por um café com acesso tanto pela rua quanto pela área interna, um ambiente que traz livros de maior interesse, jornais guias e revistas. O primeiro e o segundo andar destinam-se aos livros. No terceiro estão os escritórios e uma área para exposições, shows e lançamentos de publicações. O projeto tem estrutura de Jorge Zaven Kurkdjian, instalações da MHA Engenharia e foi executado entre os anos de 1995 e 1997.
  
PAULO DE MELLO BASTOS - Paulo de Mello Bastos é autor de inúmeros projetos que são ícones da arquitetura paulistana, como o Clube Paineiras do Morumby e o Comando Militar do Sudeste, no Ibirapuera. Formado pela FAU-USP, é sócio proprietário do escritório Arquiteto Paulo Bastos e Associados Ltda. Um de seus trabalhos de grande repercussão nacional foi o restauro da Catedral da Sé, em 2002. Em 2001 elaborou o Plano Urbanístico que serviu de base para Lei que instituiu a Operação Urbana Água Espraiada. Recentemente desenvolveu o Projeto Básico para execução das obras a serem licitadas pela Prefeitura de São Paulo, no Setor Jabaquara da Operação, com a criação, na superfície, de um parque linear com 4,5 km de extensão, associado a túnel que promoverá a ligação subterrânea entre a Avenida Roberto Marinho e a Rodovia dos Imigrantes, na Zona Sul de São Paulo.
   Descritivo do Projeto - Biblioteca Pública do Rio de Janeiro – O croqui apresentado fez parte do material do Concurso Nacional de Arquitetura para o projeto da Biblioteca Pública do Rio de Janeiro, lançado em 1984. O terreno situa-se de frente para Av. Presidente Vargas, ao lado do Campo de Santana, comunicando-se também com o “SAARA”, espécie de Rua 25 de Março dos comerciantes do Rio, caracterizada por edifícios assobradados do final do século XIX e início do XX. A solução apresentada levou em especial consideração a situação do terreno em relação ao contexto de seu entorno: uma grande avenida na frente, uma praça de porte, vizinha, bem como um espaço não desprezível de comunicação com a rua de comércio definido, de um lado pelos casarões e, de outro, por uma antiga, pequena e requintada igreja. Para tanto, foi proposta a implantação de um bloco longitudinal alongado no sentido da avenida, sobre pilotis, com vigas e fachada superiores cegas, afastadas dos pisos úteis, de modo a permitir a luminosidade apropriada e a tranquilidade interna desejável em ambientes de pesquisa e leitura. A partir do SAARA, foi projetada uma laje/marquise, para abrigar jornaleiro, sebo, gibiteca, literatura de cordel e discos, como forma de conduzir de modo natural os usuários dessa rua – de classes mais modestas – até o interior da biblioteca, quebrando o temor que, normalmente um edifício deste tipo neles inspira.
  
PAULO MENDES DA ROCHA - Nasceu em Vitória, no Espírito Santo, em 1928, e formou-se na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, em São Paulo, em 1954. Convidado por Vilanova Artigas passou a lecionar na FAU-USP a partir de 1959, tendo se tornado professor titular nessa escola em 1998. Com várias obras vencedoras em concursos públicos, Paulo Mendes da Rocha é autor do projeto do Pavilhão Oficial do Brasil na Expo 70, em Osaka, no Japão; esteve entre os finalistas premiados no concurso para o anteprojeto do Centro Cultural Georges Pompidou, em Paris (1971); projetou a reforma da Pinacoteca do Estado de São Paulo que lhe valeu o “Prêmio Mies van der Rohe de Arquitectura Latino-Americana”, em Barcelona (2000) e recebeu o “Pritzker Architecture Prize 2006”, o mais importante da arquitetura mundial.
   Descritivo do projeto - Estádio Serra Dourada – O projeto localizado em Goiânia, concluído em 1973, diferencia-se radicalmente dos conjuntos esportivos em geral – pensados como sólidos fechados – ao ser concebido como espaço permeável à cidade, abrindo-se para a ocorrência programada ou inesperada de outros eventos. Combinou-se a criação de um vestíbulo suspenso com a abertura do espaço do estádio no eixo maior para a paisagem externa, permitindo uma flexibilidade de uso, acessível a espetáculos teatrais, escolas de samba, entre outras programações.
  
REINALDO PESTANA - Reinaldo Pestana é autor de grandes projetos de condomínios horizontais e verticais, dentre eles o bairro de Alphaville, em Barueri (SP) e o Ilhas do Sul na cidade de São Paulo, ambos precursores deste tipo de empreendimento e resultantes de uma parceria com a Construtora Albuquerque Takaoka. O residencial Alphaville foi desenvolvido junto com o arquiteto José de Almeida Pinto, seu sócio no escritório Proplanco – Projetos, Planejamento e Consultoria que existiu de 1972 a 1999. Formado pela FAU-USP em 1959, o arquiteto é hoje o diretor do Escritório Reinaldo Pestana Arquitetura e Urbanismo, fundado em 1999, e que conta também com a sócia Kátia Bomfim Pestana para o desenvolvimento de projetos de arquitetura, paisagismo, planejamento urbano e consultoria imobiliária.
   Descritivo do Projeto - Alphaville Burle Marx – A concepção urbanística do projeto teve como premissa básica a preservação da vegetação e dos cursos d’água, respeitando a topografia da área. O resultado foi uma implantação que nasceu em função da ocupação dos espaços livres e consequentemente determinou a criação do primeiro Parque Municipal no Estado de São Paulo. Um projeto que cumpriu o compromisso com o meio ambiente e, ao mesmo tempo, ofereceu um grande diferencial aos moradores: o conforto de conciliar facilidades comerciais, moradia e lazer em áreas muito próximas.
  
ROBERTO LOEB - Roberto Loeb é formado em 1965 na Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie, sendo mais tarde professor de projetos nesta mesma instituição. Ao lado de Luis Capote, lidera o Escritório Roberto Loeb e Associados que atua na concepção, desenvolvimento e implantação de projetos de complexidade programática e tecnológica, atuando em diversos segmentos. Entre seus trabalhos realizados, podemos destacar o Novo Espaço Natura, localizado em Cajamar (SP), realizado em 2001; o Santander Cultural, de Porto Alegre (RS), construído em 2001; o Centro de Cultura Judaica, em São Paulo, concluído em 2003, a sede da Cocamar, cooperativa agrícola de Maringá (PR) e o Centro de Distribuição da Avon em Cabreuva (SP) ambos em construção.
   Descritivo do projeto - Centro de Pesquisas e Tecnologia Mahle / Metal Leve – Localizado no interior de São Paulo, em uma área de reserva florestal, o projeto foi construído em total integração com a paisagem verde dos 125 mil metros quadrados de seu terreno. Ocupando apenas 18 mil metros quadrados, a construção é formada por três blocos de anéis semicirculares que acompanham o desenho topográfico original da área. Uma única escada foi utilizada como solução para unir as três edificações que contam com iluminação natural e oferecem transparência visual, devido ao uso de muito vidro, materiais leves como o metal, cores claras e concreto pré-moldado em sua estrutura. A tecnologia nesta serra coberta de verde se aliou à natureza num esforço funcional que não descartou preocupações estéticas. Visto da estrada, o complexo da Mahle desponta com leveza, como uma grande mancha branca e transparente, uma presença que destoa com graça do verde circundante e se estrutura sem violência sobre as elevações do local.
  
RUY OHTAKE - O arquiteto Ruy Ohtake começou sua produção em 1960, no mesmo ano em que se formou pela FAU-USP. Desde então, seu escritório tem tido uma produção intensa, contando com obras em todo o território nacional e no exterior. Entre seus principais projetos desenvolvidos até hoje estão o Parque Ecológico do Tietê, de 1975; o São Paulo Renaissance Hotel, de 1993; o Edifício Maison de Mouette, de 1988 e o Hotel Unique, de 1998. Ao longo de mais de 30 anos de carreira, ganhou diversos prêmios, quatro deles por uma única obra, o Hotel Unique na cidade de São Paulo, considerado pela mais importante revista de turismo do mundo, a Condè Nast Traveler, em artigo do crítico Paul Goldberger, como uma das “Sete maravilhas do mundo no início do século”.
   Descritivo do projeto - Instituto Tomie Ohtake – Erguido na mais importante cidade da América Latina, São Paulo, o Instituto Tomie Ohtake tem como proposta apresentar as novas tendências da arte nacional e internacional, além daquelas que são referências nos últimos 50 anos, coincidindo com o período de trabalho da artista plástica que dá nome ao espaço, Tomie Ohtake. Conta com 7.500 metros quadrados para exposições de artes plásticas, arquitetura e design, salas específicas para ateliês, seminários e documentação, restaurante, livraria e loja de objeto e mais 6.500 metros quadrados, ainda em construção, para dois teatros e um cinema que contemplarão música, artes cênicas e audiovisual. Inaugurado em novembro de 2001, está instalado em um complexo empresarial com dois prédios de escritórios, um centro de convenções, interligados por um grande hall. O avançado empreendimento, construído pelo Grupo Aché com recursos integralmente privados, reflete uma concepção contemporânea de cidade, onde cultura trabalho e lazer estão integrados.
  
SIDONIO PORTO - Sidonio Porto nasceu em Minas Gerais, em 1940. Formou-se arquiteto pela Faculdade de Arquitetura da UFMG em 1964. Exerceu atividade docente na FAU/UFMG e na Panamericana Escola de Arte e Design, em São Paulo. Foi Diretor do IAB/MG e Diretor e Conselheiro da AsBEA/SP. Exerce atividade profissional de arquiteto em São Paulo desde 1965, onde fundou escritório próprio a partir de 1976. Executou projetos de conjuntos industriais, shopping centers, centros administrativos, residências, hotéis e clubes, entre outros, em vários estados do Brasil e no exterior. Dentre os diversos prêmios recebidos, destaca-se o Prêmio Rino Levi 2002 IAB SP – Instituto dos Arquitetos do Brasil, com a obra Ipel Fábrica de Pincéis e Embalagens. Participou das Bienais Internacionais de Arquitetura de São Paulo, tendo sido homenageado com sala especial na edição de 2003. Em comemoração aos 40 anos de seu exercício profissional, a Pro Livros está elaborando o livro Sidonio Porto, Um Intérprete de seu Tempo.
   Descritivo do projeto - Fábrica IPEL – Situa-se em um Condomínio Industrial em Cajamar, interior de São Paulo. É uma indústria de embalagens e pincéis para produtos de beleza e maquiagem. O respeito dedicado ao meio ambiente foi um dos pontos fundamentais na concepção do projeto, além da procura por um espaço adequado às atividades específicas de produção. O resultado é uma construção em total integração com o entorno, tratado paisagisticamente, que oferece espaços de trabalho agradáveis e estimulantes. Houve, ainda, a preocupação de unir o máximo de flexibilidade, condições para expansão futura e custos compatíveis. Do ponto de vista construtivo se destaca um mix de estrutura metálica para coberturas em Shed com vedações em painéis pré-moldados de concreto. Os vidros são laminados na cor verde e os caixilhos em alumínio pintado de branco.
  
SIEGBERT ZANETTINI - Siegbert Zanettini é formado pela FAU-USP em 1959. Estar além de seu tempo, com marcante visão humanista, é característica sempre presente em sua arquitetura transformadora. Mais do que projetos, trabalhando sobre conceitos, foi pioneiro, e continua sendo, no desenvolvimento de novas tecnologias e sistemas construtivos com estruturas de aço, madeira, concreto e alvenaria armada na construção civil. O profissional e professor Zanettini completa este ano 50 anos de arquitetura. Sua obra inclui mais de 1.200 projetos realizados em mais de cinco milhões de metros quadrados, além de quatro décadas de vida dedicadas ao conhecimento acadêmico. Entre os destaques de seu extenso portfolio estão a ampliação do CENPES – Centro de Pesquisas da Petrobras no Rio de Janeiro, em co-autoria com José Wagner Garcia, a Panamericana Escola de Arte e Design, o Hospital São Luiz – Anália Franco e a própria sede da Zanettini Arquitetura.
Descritivo do projeto - O Sonho – O croqui apresentado é parte do projeto que está sendo desenvolvido pelo arquiteto Zanettini para o Centro de Pesquisa e de Educação Ambiental do Instituto Inhotim, em Brumadinho, MG. Esta experiência única reúne, ainda, no mesmo lugar, o paisagismo de Burle Marx e seus seguidores, as instalações de Cildo Meireles, Adriana Varejão, Tunga, Hélio Oiticica, Neville D'Almeida, Dan Graham, Larry Clark, Laura Lima, Paul McCarthy, Steve McQueen e tantos outros, com as mais variadas e surpreendentes manifestações artísticas. “Concretizo meu sonho ao juntar-me com essa plêiade de artistas, agregando meus conhecimentos à produção científica de biólogos, botânicos, fisiólogos, climatólogos, geólogos, agrônomos e de educadores ambientais que ampliam ainda mais as dimensões cultural, holística e sistêmica, integrando o conhecimento científico ao mundo das idéias e da criação” comenta Zanettini sobre o projeto. E ainda completa: “A eles viemos nos reunir fazendo arquitetura com tecnologia, ecoeficiência e sustentabilidade com invenção, magia e encantamento na busca de mais um sonho”.
   Serviço: A BOA ARQUITETURA DE UMA GERAÇÃO / de 26/10/09 a 13/11/09 / Local: Panamericana Escola de Arte e Design / Rua Groenlândia, 77 – Jd. Paulista - São Paulo - SP / Segunda a Sexta-feira das 09h00 às 21h00 / Sábados das 09h00 às 13h00. / Aberta ao público / Entrada gratuita

|TOPO|


Arquitetos se reúnem para discutir Normas de Desempenho e BIM traçando paralelos com padrões internacionais aplicados ao projeto de arquitetura

O Fórum AsBEA e 8° Encontro Regional reuniu, no Hotel Villa Rossa, em São Roque (SP), profissionais ligados à área da arquitetura e construção para discutir temas interessantes para a evolução técnica, como Normas de Desempenho, BIM – Building Information Modeling e Internacionalização da Arquitetura Brasileira. Os assuntos despertaram a atenção dos participantes e geraram debates bastante produtivos sobre os desdobramentos dos assuntos e suas aplicações em outros países, traçando comparativos com parâmetros brasileiros.
   No início dos trabalhos, a exposição da eng Maria Angélica Covelo, diretora da NGI Consultoria, fez um painel sobre a ''Norma de Desempenho NBR 15575 e seu impacto sobre o projeto''. De acordo com a palestrante, entre os benefícios da aplicação das normas está estabelecer parâmetros para que o mercado tenha condições competitivas mais equilibradas, definir responsabilidades e alcançar patamares de desempenho maiores.
   Os desdobramentos do assunto foram tratados na sequência com a palestra da eng Ana Rocha, diretora da Proactive Consultoria, que aliou os requisitos da norma de desempenho a conceitos de sustentabilidade do sistema AQUA - Alta Qualidade Ambiental (adaptação do sistema HQE - Haute Qualité Envirinnementale/França) com a palestra ''A avaliação de Sustentabilidade do edifício com requisitos de desempenho''. Os aspectos jurídicos da norma de desempenho foram tratados pelo adv Carlos Pinto Del Mar, membro do Conselho Jurídico do Sinduscon-SP e do Secovi-SP com o tema ''As normas de desempenho e as responsabilidades do arquiteto e dos projetistas, do incorporador/proprietário da obra e da construtora".
   ''Atendimento aos requisitos de desempenho térmico e lumínico no projeto de arquitetura'' foi tratado pelo eng Fernando Simon Westphal, sócio-diretor da Yawatz Engenharia e consultor em eficiência energética de edificações. Ana Carolina de Vitto Granado, da empresa Cebrace, falou sobre 'A adequação dos vidros às normas técnicas'.
   Especializado em sistemas de ar condicionado, o eng Eduardo Grecco, diretor da Contractors Engenharia, falou sobre 'Os sistemas de ar-condicionado: desempenho e sustentabilidade. Novas exigências, certificações, etiquetagens', levando em consideração a qualidade ambiental que alia conforto ambiente à eficiência energética. O eng José Carlos Giner fez uma exposição sobre 'Desempenho acústico no projeto', que entre outros tópicos abordou o desempenho acústico entre pavimentos e sistemas de vedações verticais. Carlos Eduardo Ferreira, diretor da Isover, fez uma apresentação sobre 'Isolação termo-acústico e seus benefícios para a construção sustentável'. E para finalizar o primeiro dia, 'Desempenho e sustentabilidade em produtos inovadores de metais sanitários' foi o assunto tratado pela arq Fátima Barnabé, da Deca.
   No segundo dia do evento, o presidente da AsBEA, arq Ronaldo Rezende, fez a abertura dos trabalhos, com uma exposição sobre o ‘Projeto de Internacionalização da Arquitetura Brasileira’, feito em uma parceria da AsBEA com a Apex-Brasil. O arquiteto falou sobre os benefícios da participação no programa e sobre algumas ações que já estão sendo feitas.
   Em seguida, a arq Miriam Addor, coordenadora do GT BIM da AsBEA, fez uma explanação sobre o processo 'BIM - Building Information Modeling: um novo paradigma'. A profissional falou sobre a utilização da ferramenta no exterior e sobre a introdução bem mais recente do modelo no Brasil.
A arq Priscila Castro, da Graphsoft, empresa criadora do Software ArchiCAD, que é comercializado no Brasil pela PINI, fez uma palestra técnica sobre todas as possibilidades de utilização dos softwares no mundo e a integração com o processo BIM.
   Na segunda parte dos trabalhos, os arqs Miriam Castanho, do escritório Contier Arquitetura, Henrique Cambiaghi, da CFA Cambiaghi Arquitetura, José Rocha, da Gui Mattos Arquitetura e Verena Arantes, gerente executiva de projetos da MATEC Engenharia e Construções fizeram uma exposição de casos práticos de aplicação do BIM em empresas de projeto e empresas construtoras.
   Na sequência, José Pires, do Sistema Navis de gestão de projetos, especialista em software, expôs os tipos de programas que podem ser usados na gestão de escritórios, nas áreas financeira, comercial, entre outras. Américo Corrêa Júnior, da Autodesk, finalizou as apresentações dando sequência ao tema BIM com a exposição que destacou várias soluções por meio da utilização de softwares. / www.asbea.org.br

|TOPO|


Instituto Europeo Di Design (IED) recebe credenciamento do MEC

O Istituto Europeo di Design (IED), com sede em São Paulo, recebe credenciamento do MEC e, com isso, seus cursos nas áreas de Design, Moda e Artes Visuais passam a ser válidos como graduação e pós-graduação. A escola está presente na Itália – em Milão, Turim, Roma e Veneza –, na Espanha – em Madrid e Barcelona – e, desde 2005, no Brasil, na capital paul ista. O grande potencial da cidade nas áreas em que o IED atua foi o principal motivo da escolha. Os estudantes da rede internacional do IED são provenientes de mais de 90 países de todos os continentes. A diversidade cultural é uma constante que enriquece a escola. Desde o seu nascimento, em 1966, na Itália, o IED formou mais de 90 mil estudantes. / www.iedbrasil.com.br

|TOPO|


Ano da França no Brasil leva obras primas de Rodin a Salvador

Exposição inédita “Auguste Rodin, homem e gênio” ficará em cartaz por três anos no Palacete das Artes, com gratuidade garantida por um ano

Uma concorrida festa de inauguração coroou o processo de sete anos que unem os primeiros acordos feitos entre França e Brasil para a vinda das peças do escultor francês Auguste Rodin para a Bahia, e a abertura da exposição “Auguste Rodin, homem e gênio”, que permanecerá aberta a visitação pública por três anos. Esta é a primeira vez na história que o Museu Rodin Paris concorda em ceder para uma exposição, e por tanto tempo, as peças do artista considerado o pai da escultura moderna, o que envolveu um bem sucedido esquema de colaboração binacional que já dura quase uma década e teve seu ápice durante o Ano da França no Brasil.
   As 62 esculturas, avaliadas em R$ 26 milhões e que foram cedidas em comodato de três anos pelo governo francês para a realização da exposição. O Projeto Rodin Bahia foi aberto pelo governador do Estado, Jacques Wagner, que esteve acompanhado da primeira-dama, Fátima Mendonça, e de membros da sua administração, como o secretários da Cultura, Marcio Meirelles, e do Turismo, Domingos Leonelli; o diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia – IPAC, Frederico Mendonça; e o diretor do Palacete das Artes - Museu Rodin Bahia, o também artista plástico Murilo Ribeiro.
   Aline Magnien, conservadora em chefe do patrimônio e responsável do serviço de coleções do Museu Rodin Paris ressaltou o empenho do governo baiano e francês para que o projeto de trazer ao Brasil as peças do maior escultor do século. “É um conjunto de sucessos, desde o restauro do casarão, até a cenografia bela e inteligente que foi feita para receber as peças. Estamos muito felizes com o resultado”.
   O conjunto de obras que ficará, por um período, aberto a visitação gratuita, é composto por originais que são registrados no inventário das coleções públicas francesas, sendo consideradas propriedade inalienável do Estado Francês. As peças devem voltar a Paris ao fim de 2012, podendo ser feito um novo contrato com outras coleções do autor.
   As 62 peças foram esculpidas em gesso, em uma tradução da técnica de Rodin, que costumava trabalhar com este material, deixando que seus assistentes fundissem o metal para finalização e reprodução de suas obras. Para Rodin, somente o gesso era capaz de moldar sobre o que já fora criado, o metal ou o mármore impediam as torções e contornos necessários a sua representação artística.
   Entre os destaques da exposição, estão obras como “O Beijo”, “O Pensador”, “O Escultor e Sua Musa”, “Eva”, “A Defesa”, “O Desespero”, “Terceira Maquete para a Porta do Inferno”, “Glaucus”, “O Sono”, “A Meditação”, “A Eclesiástica” e a “Danaide”.
   O projeto Rodin é uma iniciativa do governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado, e conta com o apoio do Governo Federal do Brasil, da República Francesa e do Museu Rodin Paris. / http://anodafrancanobrasil.cultura.gov.br

|TOPO|


Flexiv lança Oferta para Executivos

A Flexiv – Escritórios de Sucesso é uma empresa de móveis para escritório que tem como filosofia inspirar o prazer de trabalhar. Para deixar o ambiente de trabalho mais produtivo, lança agora a Oferta para Executivos, com descontos em produtos voltados para este público. A Oferta vai do dia 22/10/09 até 30/11/09. E ainda na compra da Mesa Executiva R1 você ganha um Mancebo (MDF Microtextura), para deixar seu escritório mais organizado e produtivo.
   Confira: Cadeira Flextropic D-Light: 20% de desconto em 1+2x sem juros (prazo de entrega sob consulta) / Mesa Executiva R1: 20% de desconto em 1+2x sem juros (prazo de
entrega sob consulta) / Mancebo: 30% de desconto em 1+2x sem juros (válido para estoque
disponível nos showrooms ou para pedido com prazo sob consulta) Confira de perto os móveis e a Oferta nos showrooms - Curitiba: Rua Nilo Peçanha, 420 / São Paulo: Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1984 / A oferta da Mesa R1 também se aplica às revendas. / www.flexiv.com.br

|TOPO|


Editora Mackenzie lança Arquitetura Moderna na Praia: Residências na Praia de Pernambuco, Guarujá

Livro do arquiteto Maurício Azenha Dias faz um resgate da ocupação do Guarujá por meio da leitura de projetos referenciais construídos na Praia de Pernambuco

A Editora Mackenzie lançou em outubro o livro Arquitetura Moderna na Praia: Residências na Praia de Pernambuco, Guarujá, de autoria do arquiteto e professor Maurício Azenha Dias. A obra faz uma análise de projetos de residências destinadas ao lazer a partir do resgate do processo de construção e ocupação do município do Guarujá, no litoral paulista. “O Guarujá sempre esteve associado à elite paulista, que, a partir do final do século XIX, o escolheu como local de veraneio”, comenta Mauricio. “Até o final dos anos 1980, foi ali que a burguesia do Estado mais rico do país construiu seu endereço à beira-mar, tornando o município um dos mais sofisticados balneários brasileiros.”
   A ocupação, segundo explica o autor, se deu em diversos estágios e culminou com o loteamento da Praia de Pernambuco, onde muitas das casas foram projetadas pelos principais arquitetos brasileiros da época. “A proposta do livro é fazer uma leitura da ocupação do município até o loteamento da Praia de Pernambuco e analisar casas paradigmáticas construídas no local entre 1959 e 1989, estabelecendo uma relação entre a casa construída para morar e a destinada ao lazer”, completa Maurício.
   Conforme nos conta no prefácio do livro o professor da FAU USP e FAU Mackenzie, João Sette Whitaker Ferreira “não saberia dizer o que no livro do Maurício é melhor: se a deliciosa descrição dos modos e costumes das elites paulistas em suas temporadas de jogos e lazer no auge da economia cafeeira, se a consistente análise da urbanização do litoral como um espaço privilegiado de lazer e veraneio, ou ainda a precisa descrição arquitetônica de cada uma das obras apresentadas.”
   Sobre o autor - Mauricio Azenha Dias é arquiteto e urbanista pela Universidade Católica de Santos (FAU Santos), onde é professor desde 1996. É mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Além da atividade docente, desenvolve projetos para a iniciativa privada.
   Serviço: Arquitetura Moderna na Praia: Residências na Praia de Pernambuco, Guarujá / 2009 / 172 páginas 21 x 23 cm / Português / ISBN 978-85-7916-015-8 / Brochura / Preço: R$ 70,00 / Informações
Departamento Editorial: Joana Figueiredo / Rua da Consolação, 930 / Edifício João Calvino, 7º andar / São Paulo – SP – CEP 01302-907 / Tel.: (11) 2114-8774/2114-8785 / editora@mackenzie.com.br / www.mackenzie.br/editoramackenzie / vendas: www.editoraculturacrista.com.br

|TOPO|


São Carlos adota nova técnica na construção de casas

Método permite construções mais resistentes e será aplicado a 1.198 moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida

Moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida em São Carlos (a 230 km de São Paulo) serão construídas com uma técnica inovadora, desenvolvida nos EUA e no México, que permite construções mais resistentes e confortáveis. A técnica, trazida à cidade pela construtora Rodobens, utiliza moldes preenchidos com concreto e será aplicada na construção de 1.198 casas com áreas entre 41m2 e 51 m2. Os moldes serão construídos com espaços para janelas, portas, fiação, encanamento e demais estruturas da casa. Eduardo Baccarin, engenheiro civil da Rodobens responsável pela obra, explica que em seguida é aplicado um concreto especial, desenvolvido de acordo com as especificações técnicas brasileiras. A massa recebe aditivos químicos e outros produtos para manter a temperatura da casa e garantir a secagem mais rápida. “O conforto térmico é três vezes maior do que as tradicionais casas de alvenaria”, afirma o engenheiro.
   “As paredes são de três a quatro vezes mais resistentes do que uma moradia de tijolo comum”, ressalta Baccarin. A estrutura da cobertura recebe ainda aço galvanizado no lugar da maneira, garantindo maior durabilidade.
   Baccarin explica ainda que todo o processo foi homologado pela Caixa, financiadora das moradias. A empresa já construiu 220 casas e começa outras 220 para outros programas financiados pela Caixa. Em São Carlos, serão construídas cerca de seis mil moradias com financiamento pela Caixa.

|TOPO|


Prêmio Casa Cor Ceará anuncia vencedores

Na quarta-feira (28/10), o Prêmio Casa Cor divulgou os vencedores do ano em coquetel para convidados e profissionais da arquitetura e decoração. O arquiteto e urbanista Luiz Deusdará levou sagrou-se vencedor na Categoria com Ênfase no Design com o espaço Oca Viva, que remete à mais antiga forma de habitação humana. Na categoria Ambiente Verde os campões foram Max Frota, Itatiene Garcia e Herbert Rocha pela ambientação da Loja Casa Cor. Alberto Bruno, designer responsável pelo Sítio “Passarim do Assaré” foi primeiro lugar na categoria Ambiente com Ênfase no Artesanato. Já a arquiteta Sophya Romcy venceu na categoria Melhor Ambiente de Uso Público e Comercial com o Restaurante “Doroty Lamour”.
   A menção honrosa do Prêmio Casa Cor Ceará foi para a paisagista Valéria Maldonado, que assina o Jardim Burle Marx, revitalizado com base no projeto original do consagrado paisagista Roberto Burle Marx, que recebe homenagem da Casa Cor em comemoração aos 100 anos de seu nascimento.
   O premiação desse ano contou com júri de reconhecida atuação no cenário nacional em arquitetura, decoração e jornalismo, composto pela arquiteta e publisher da Revista Estilo Casa, Olga Krell, os arquitetos e professores da Unifor e da UFC, respectivamente, Mário Guerra Roque e Romeu Duarte, os jornalistas Germana Cabral e Glauber Uchoa, que também é Coordenador da Cultura e do Artesanato do Sebrae-CE.
   O objetivo do Prêmio Casa Cor Ceará é valorizar empresas e profissionais das áreas de design e arquitetura, sendo o foco para a atuação projetual voltada à conservação do meio ambiente, considerando a importância da sustentabilidade no processo de produção e consumo. Outro reconhecimento do prêmio é para o fértil encontro entre artesanato e design, também desenvolvidos com foco na responsabilidade sócio-ambiental. Confira os vencedores de 2009 por categoria:
   Categoria Ambiente com Ênfase no Design: 1º lugar - A Oca Viva - Luiz Deusdará / 2º lugar - “Santa Fé” Adega - Érico Monteiro / 3º lugar - Galerias com Escadas do Hotel Casa Cor Ceará - Liana Feingold e Laura Rios
   Categoria Ambiente Verde: 1º lugar - Loja Casa Cor - Max Frota,Itatiene Garcia e Herbert Rocha / 2º lugar - Lounge TAM - Ana Fiuza e Celina Fiuza / 3º lugar - Oficina de Artes Hidracor - Marçal Barros
   Categoria Ambiente com Ênfase no Artesanato: 1º lugar - “Passarim de Assaré” Sítio - Alberto Bruno / 2º lugar - “Eu Também Quero Beijar” Recanto da Praça - Karine Maia e Débora Melo / 3º lugar - “Pão e Poesia” Saleta - Sergei de Castro
   Categoria Melhor Ambiente de Uso Público e Comercial: 1º lugar - “Doroty Lamour” Restaurante - Sophya Romcy / 2º lugar - Cozinha dos Cheffs - Rosalinda Pinheiro / 3º lugar - Banheiro Especial - Camila Freitas e Carla Cruz
   Menção Honrosa: Jardim Burle Marx - Valéria Maldonado / www.casacorceara.com.br

|TOPO|


A França na 8ª Bienal Internacional de Arquitetura em São Paulo

A 8ª Bienal Internacional de Arquitetura em São Paulo será realizada até o dia 6 de dezembro na Fundação Bienal, com projetos de renomados arquitetos e urbanistas brasileiros e internacionais. A delegação francesa vai apresentar a exposição “GénéroCité”, que propõe uma seleção de 30 projetos e traz o questionamento sobre o que a arquitetura pode dar às cidades e seus habitantes.
   Serviço: 8ª Bienal Internacional de Arquitetura – São Paulo / Data: 31 de outubro a 6 de dezembro de 2009 / Horários: terças a quintas, das 12h00 ás 22h00; sextas, sábados domingos e feriados, das 10h00 ás 22h00 / Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo – Fundação Bienal – Parque do Ibirapuera
Ingressos: R$12,00 / www.bienalinternacionaldearquitetura.com

|TOPO|


A Bookstore estará presente na 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo
Com livros de arquitetura e exclusividades como "Arquitetura Viva" e "Actar" (Espanha), "Arq Ediciones" (Chile), 30-60 (Argentina), "Escala" (Colômbia) e "Arquine" (México).

A Bienal Internacional de Arquitetura, uma das maiores mostras mundiais da produção de grandes arquitetos nacionais e internacionais. Na temática de sua oitava edição, “Ecos Urbanos”, discutirá as grandes intervenções urbanas decorrentes da realização de mega eventos, como é o caso do Brasil, que sediará a Copa do Mundo em 2014.
   ECOS traz os conceitos de Espacialidade, Conectividade, Originalidade e Sustentabilidade, que são os quatro pilares que deverão fundamentar as transformações urbanas contemporâneas.
Envolverá questões referentes a um amplo leque de atividades, que vai do planejamento urbano até a arquitetura de edifícios, passando por elementos complementares dos espaços públicos e privados: paisagismo, luminotecnia, comunicação visual, mobiliário urbano e interiores. A 8º Bienal Internacional de Arquitetura é uma grande oportunidade para o lançamento de teorias e práticas que envolvem a construção de uma nova estrutura na busca um futuro sustentável. Não faltarão atrativos para a participação do público. Além do conteúdo coletivo, a produção intelectual, artística e técnica dos arquitetos urbanistas em busca de um futuro sustentável para as cidades e o planeta, a 8ª BIA oferece um espaço de produção dentro da cultura de sustentabilidade. / www.livrariabks.com.br

|TOPO|


Vitória recebe obras-primas do Museu de Gravelines

Exposição “Os Triunfos do Carnaval” integra o calendário oficial do Ano da França no Brasil

Na vida de todo brasileiro o carnaval tem um espaço especial, e a partir de 29 de outubro, quem visitar o Museu de Arte do Espírito Santo (MAES) vai poder conhecer um outro lado da festa mais popular do Brasil: a história contada pelos grandes mestres da gravura mundial. A exposição "Os Triunfos do Carnaval" traz a Vitória 53 obras de artistas como Goya, Manet, Heyden, Tiepolo, Bruegel e Van de Velde II e integra o calendário oficial do Ano da França no Brasil. As gravuras fazem parte do acervo do Musée du Dessin et de l'estampe originale, da cidade francesa de Gravelines.
   "Essas peças estão entre as mais belas e mais significativas do nosso acervo. Elas representam o carnaval do século XVI ao século XX, não só na França, mas na Espanha, na Itália, em Portugal e na Eslovênia" afirmou a curadora do museu de Gravelines, Dominique Tonneau.
   Essa é a primeira vez que as obras são expostas no Brasil. Segundo a diretora do MAES, Leila Horta, o grande objetivo é fazer essa mescla da Europa com a América do Sul. "Muitas histórias pitorescas são desconhecidas do público brasileiro. Com essa exposição transformamos a visão que temos do carnaval, percebemos que a festa é muito mais ampla que apenas o enfoque nacional", explica.
   O historiador e especialista em carnaval, Claude Gaignebet, ressalta que a festa brasileira tem muito mais em comum com as origens européias. "Vemos na exposição que no carnaval flamenco há um tambor que se chama rommelpot, e que no Brasil é a cuíca. Na França temos o tradicional Boeuf Gras, que para vocês se transformou no Bumba meu Boi. Existe até o personagem com chifres que foi traído pela esposa", conta o historiador, que tentou tocar cuíca e até arriscou uns passos de samba durante a inauguração da exposição.
   A exposição faz parte das comemorações do Ano da França no Brasil e é promovida pela Comunidade Urbana de Dunkerke e pela Prefeitura de Vitória. O presidente da Comunidade Urbana de Dunkerke, Michel Delebarre explicou que a capital capixaba foi escolhida para receber a mostra pois já existe uma parceria entre as duas cidades desde 2005. "Fico feliz que essa colaboração tenha chegado também à área cultural. Principalmente numa exposição como essa. O carnaval faz parte da alma do povo de Dunkerke, assim como do povo de Vitória". A cidade francesa tem um dos carnavais mais tradicionais e animados da Europa.
   Quem compareceu à abertura da mostra, aprovou a iniciativa. Para a artista plástica capixaba Monica Nitz intercâmbios como esses são sempre muito positivos. "Com essa troca cultural o público do Espírito Santo sai ganhando, e também o público francês quando a gente leva um pouco da nossa cultura para lá".
   A mostra "Os triunfos do carnaval" ficará no MAES até 15 de janeiro de 2010 e poderá ser visitada de terça à sexta-feira, das 10hs às 18hs. Aos sábados, domingos e feriados, das 12hs às 18hs. Quem não puder visitar a exposição também poderá conhecer as obras pela internet. A partir do dia 5 de novembro o conteúdo estará disponível no site www.emcbrasil.com.br.
   Serviço: Os Triunfos do Carnaval – Vitória / De 29 de outubro a 15 de janeiro de 2010 / De terça à sexta-feira, das 10h às 18 h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h / Local: Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo / Avenida Jerônimo Monteiro, 631, Centro – Vitória - ES
|TOPO|


Empresas do Reino Unido e do Brasil debatem Construção Sustentável
O UK Trade & Investment (UKTI), órgão do Governo Britânico para promover o comércio e investimentos internacionais, em parceria com a British Expertise realizou o Encontro Técnico Brasil-Reino Unido para discutir e incentivar as práticas de sustentabilidade no setor de construção civil, o chamado Green Building. O evento aconteceu em São Paulo, no dia 28 de outubro, e no Rio de Janeiro, no dia 30 de outubro.
   Coordenado por Nigel Peters, Diretor da British Expertise, o encontro contou com a participação do Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho, e de autoridades no assunto, como Nelson Kawani, Diretor da Green Building Council Brasil e de Vahan Agopyan, do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), além do Cônsul-Geral Britânico em São Paulo e Diretor do UK Trade & Investment, Martin Raven.
   A presença de pelo menos 10 empresas britânicas com grande experiência no setor foi motivada pela representatividade do setor de construção civil na economia global. Atualmente, o segmento imobiliário responde por cerca de 10% do PIB mundial.
   Tal potencial gera muitos benefícios, mas também grandes impactos. O segmento imobiliário, por exemplo, consome no mundo cerca de 40% dos materiais de construção, gera 30% do lixo sólido, utiliza 20% da água e 35% da energia, segundo dados do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS).
   Nesse cenário, as questões socioambientais ganham papel de destaque, direcionando, em muitos casos, os investimentos realizados por empresas desse mercado. Um ativo imobiliário que considere estes aspectos pode ter seu valor alterado de forma significativa.
   Estratégia do Governo Britânico - De acordo com o Progress Report sobre a Estratégia para a Construção Sustentável, divulgado em setembro de 2009, o projeto britânico vem apresentando excelentes resultados devido ao intenso trabalho entre a indústria e órgãos do governo e têm alcançado conquistas muito significativas, com metas audaciosas para os próximos anos.
   Entre as metas ousadas desta Estratégia podem ser destacadas a redução das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa em pelo menos 80% até 2050 e uma diminuição de, pelo menos, 34% até 2020. Estas reduções integram o Plano de Transição de Baixo Carbono do Reino Unido e, para atingi-las, o governo já definiu sua política para a construção de casas com emissão zero de carbono a partir de 2016 e, da mesma forma, de novas escolas, prédios públicos e edifícios não residenciais com zero de carbono, a partir de 2016, 2018 e 2019, respectivamente.
   De acordo com o Progress Report, também está prevista a redução de resíduos de construções, demolições e escavações para aterro em 50% até 2012 e a regulação de encargos administrativos, reduzindo-os, até 2010, em 25% na área privada e terceiro setor, e em 30% no setor público.
   Também fazem parte da Estratégia a promoção de boas práticas de construção, estabelecidas e regulamentadas em contratos; construções que sigam orientações de design que permitam a melhor utilização dos recursos e reflitam os conceitos de sustentabilidade; a otimização da capacidade industrial para atender adequadamente o segmento; o investimento na formação de pessoas, com projetos de desenvolvimento profissional contínuo; a valorização da biodiversidade dentro e ao redor dos locais de construção e a utilização de materiais com menor impacto ambiental e que sejam viáveis social e economicamente
   Boas práticas - Com o empenho do setor em priorizar as boas práticas, envolvendo os aspectos ambientais, sociais e econômicos, percebe-se a adoção de normas que não apenas regulam, mas também certificam a atuação destas empresas. As diretrizes gerais para edificações sustentáveis podem ser resumidas em algumas das normas recomendadas pelos melhores sistemas de certificação no mundo, como o inglês Breeam (http://www.breeam.org/)
   São orientações como planejamento sustentável da obra; aproveitamento passivo dos recursos naturais; eficiência energética; gestão e economia da água; gestão dos resíduos na edificação; qualidade do ar e do ambiente interior; conforto termo-acústico; uso racional de materiais e uso de produtos e tecnologias ambientalmente amigáveis
   De acordo com Valeria Martinez, gerente para Construção e Meio Ambiente do Consulado Britânico, hoje essas normas são cada vez mais necessárias. As técnicas aplicadas pelo Green Building promovem melhor desempenho estrutural dos edifícios e o aumento da qualidade de vida de seus ocupantes, além de evitar o desperdício de recursos naturais e reduzir os custos com manutenção e isso reflete não só em economia para a indústria, mas também um fôlego a mais para o meio ambiente.
   Exemplo de Construção Sustentável - Um bom exemplo da implantação de Construção Sustentável são as obras de infraestrutura para a realização dos Jogos Olímpicos de 2012. O Parque Olímpico foi construído utilizando a mais vasta gama de critérios de sustentabilidade já adotados em um projeto de grande escala no Reino Unido. Materiais reciclados têm sido utilizados para a construção, e mais da metade deles foram transportados para o local por meio de transportes de baixo carbono.

|TOPO|


Cidades e Arenas da Copa 2014 serão destaque da Bienal de Arquitetura
Há cinco anos da abertura da Copa 2014 no Brasil, a Bienal de Arquitetura, que começou em São Paulo no sábado 31 de outubro, apresenta a primeira exposição sobre os planos urbanísticos e os projetos das 12 arenas que sediarão o mundial no Brasil. A exposição Cidades e Arenas da Copa – Brasil 2014, foi organizada pela Mandarim Comunicação em parceria com o IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) e reunirá o trabalho de renomados arquitetos, pilares das obras da Copa 2014, cujos projetos serão fundamentais para a construção de um ideário arquitetônico para o país.
   De acordo com o jornalista Silvério Rocha, organizador da exposição, a mostra ocupará uma área de cerca de 600 m2 e conterá um espaço para exibição de propostas e projetos de cada cidade-sede. “A exposição oferecerá um painel abrangente do que foram as copas anteriores, com mostra dos estádios desde a primeira copa, realizada em 1930, no Uruguai, aos projetos de estádios e obras previstas para a Copa 2014 no Brasil, nas 12 cidades-sede”, explica Rocha. Um miniestádio, com arquibancadas construídas no padrão da Fifa e um minicampo com grama sintética, complementam a exposição. Nesse espaço, urbanistas e coordenadores dos comitês locais da Copa 2014 apresentarão seus projetos em palestras abertas ao público.
   A exposição Cidades e Arenas da Copa – Brasil 2014 conta com o patrocínio de Autodesk,Governo do Estado do Amazonas, Haver e Boecker, Philips, Prefeitura de Manaus, Quattor, SPTuris e Usiminas e apoio do Sinaenco (Sindicato da Arquitetura e das Engenharia) e Portal 2014.
   Serviço: 8ª Bienal Internacional de Arquitetura / Data: 31 de outubro a 6 de dezembro / Horários: terças a quintas, das 12h00 ás 22h00; sextas, sábados domingos e feriados, das 10h00 ás 22h00 / Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo – Fundação Bienal – Parque do Ibirapuera / Público estimado: 200 mil visitantes / Acesso dos visitantes mediante convite ou ingresso - R$ 12,00 / Segunda-feira - FECHADO / Terça-feira - gratuito / Terça e quarta feiras - gratuito para escolas

|TOPO|


Maquete gigante do Morumbi será apresentada pela primeira vez em São Paulo

O projeto do estádio Cícero Pompeu de Toledo para a Copa de 2014 virou maquete e será exibida ao público pela primeira vez na Exposição Cidades e Arenas da Copa – Brasil 2014, que ocupará 600 m2 do terceiro pavimento do Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera.
   Organizada pela Mandarim Comunicação com apoio do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) a Exposição estará aberta ao público a partir das 19h deste sábado, 31/10, quando acontecerá a abertura da 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.
   A Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo é o principal evento ligado à arquitetura da América Latina e deve receber, de 31 de outubro a 6 de dezembro, cerca de 200 mil visitantes, entre arquitetos, engenheiros, construtores, estudantes de arquitetura e engenharia, autoridades e o público geral interessado na arquitetura, brasileira e internacional.
   A exposição Cidades e Arenas da Copa – Brasil 2014 conta com o patrocínio de Autodesk, Governo do Estado do Amazonas, Haver e Boecker, Philips, Prefeitura de Manaus, Quattor, SPTuris, Usiminas, apoio do Sinaenco (Sindicato da Arquitetura e da Engenharia) e Portal 2014.
   Serviço: 8ª Bienal Internacional de Arquitetura / Data: 31 de outubro a 6 de dezembro / Horários: terças a quintas, das 12h00 ás 22h00; sextas, sábados domingos e feriados, das 10h00 ás 22h00 / Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo – Fundação Bienal – Parque do Ibirapuera / Público estimado: 200 mil visitantes / Acesso dos visitantes mediante convite ou ingresso - R$ 12,00
Segunda-feira - FECHADO / Terça-feira - gratuito / Terça e quarta feiras - gratuito para escolas
|TOPO|


Manual de Acústica já está disponível para download

Este é o mais novo documento da série deManuais de Escopo de Contratação de Projetos e Serviços para a Indústria Imobiliária, fruto de trabalho coordenado pelo Secovi-SP

Já está disponível para download gratuito o Manual de Acústica, lançamento da série de Manuais de Escopo de Contratação de Projetos e Serviços para a Indústria Imobiliária. O comitê gestor dos Manuais de Escopo é coordenado pelo Secovi-SP. Escrito sob a visão da nova Norma de Desempenho de Edificações, o objetivo é contribuir para a melhoria da qualidade no desenvolvimento das várias etapas das atividades da cadeia produtiva, colaborando para a redução de custos de qualquer obra, antes, durante e depois de sua execução. Download pelo link: www.manuaisdeescopo.com.br
   Sesc, Senai, secretarias municipais e estaduais de obras, tribunais de contas e interessados de todo o País e do exterior figuram na lista de entidades e órgãos que adequaram os manuais e os utilizam como modelo para o pleno desenvolvimento de suas atividades.
   A iniciativa já se aproxima da marca de 80 mil downloads e o cadastro de cerca de 13.500 profissionais do Brasil e do exterior. Para conhecer mais o trabalho e ter acesso aos demais manuais, acesse o site www.manuaisdeescopo.com.br

|TOPO|


Moradores de baixa renda se unem para criar artesanato com fibra da bananeira

Associação Fibras da Serra, nome escolhido pelo grupo de artesãos, inaugurou dia 26 de novembro sede própria em Rio Grande da Serra para a criação e fabricação em escala comercial de produtos feitos com a matéria-prima, abundante na região dos mananciais

O grupo de artesãos sairá do anonimato para se tornar exemplo de empreendedorismo 100% sustentável para o Brasil. Neste dia, às 14h30, o grupo, formado por pessoas de baixa renda e sem trabalho fixo, inaugura na cidade a sede da Associação Fibras da Serra, projeto de responsabilidade socioambiental e economia solidária, desenvolvido pela empresa Solvay Indupa junto às comunidades vizinhas da fábrica, com objetivo de gerar fonte de trabalho e renda para as famílias envolvidas, com sustentabilidade.


   Instalado num galpão de 250 m², da rua do Autonomista, 357, centro, o Fibras da Serra começa a produzir em escala comercial artesanato, feito com palha e fibra de bananeira, como bolsas, cestas, bijuterias, artigos de decoração e outros frutos do talento e descobertas do grupo, sempre à caça de novas aplicações da abundante matéria-prima em Rio Grande da Serra e região.
   Com as mãos marcadas pelo trabalho de pedreiro, Agnaldo Ribeiro Dantas, 44 anos, produz cestas, bolsas femininas, jogos-americanos, portas-copos e outros objetos, uma arte que considera terapia. Dantas faz parte do Núcleo Duro, o grupo de frente com funções fixas no projeto, que são a gestão da associação, operacionalização do trabalho e disseminação da arte. No Núcleo, Dantas ajudará a cuidar do plantio manejado de 800 mudas de bananeira, para a extração da fibra e a sustentabilidade do projeto. “Nas horas vagas lá no bananal, vou tecer o meu artesanato”, avisa.
   Aparecida Damazia Gomes, 49 anos, é uma dona-de-casa que fazia panos de prato para as amigas e adora cestaria. “Na verdade, gosto de todo tipo de artesanato, tanto que se eu vejo um diferente descubro rápido e faço igual”, diz Cida Gaia, como é conhecida a artesã, desde que entrou para o Fibras da Serra há quatro anos. O nome da associação, Cida Gaia também ajudou a escolher.
   ORIGINALIDADE - “Fibras é uma atribuição à matéria-prima, o pseudocaule extraído da bananeira, e serra é uma homenagem à Rio Grande da Serra, área de proteção aos mananciais onde há facilidade do plantio de bananal”, explica Maria Aparecida Falceti, presidente da associação e escultora de portas de madeira. Aparecida Falceti explica que o Fibras da Serra utiliza derivados da bananeira descartados quando a árvore dá os frutos. “Reaproveitamos o material para extração de palhas e fibras para confecção de produtos”, adianta Aparecida Falceti.
   O Fibras da Serra conta com o trabalho direto de 30 pessoas da comunidade, maioria mulheres, num total aproximado de 170 familiares e, destes, mais de 40 prestam pequenos serviços ao grupo em grandes encomendas. “Todos têm algum talento para artesanato e muitos exercem a atividade para ajudar na renda familiar”, afirma Lisandre de Assis, coordenadora de Comunicação da Solvay Indupa e responsável pelo Fibras da Serra na empresa petroquímica.
   Além de consultoria especializada, o projeto fornece apoio na aquisição de materiais e infra-estrutura para produção da palha e fibra e o desenvolvimento de derivados. “Esse apoio visa garantir a sustentabilidade do projeto até alcançar a comercialização dos produtos”, diz Lisandre. Atualmente, os integrantes do Núcleo Duro recebem treinamento com profissional de design para desenvolvimento de produtos com valor estético e com processos de produção compatíveis com a condição ambiental da região. Isso inclui visitas técnicas e participação em seminários, eventos e feiras.
   Desde que começou, o grupo aprendeu a extrair pigmentos de corantes vegetais e com eles tingir tecidos, e retirar fibra e palha de bananeira. Também descobriu novos métodos de secagem e armazenamento da fibra, como tecer a fibra em diferentes técnicas e produzir objetos de adorno e decoração com fibra de bananeira. Aprendeu a calcular o valor do produto para venda, iniciar a fase de comercialização e como produzir um catálogo de técnicas e produtos.
   BANANAL – A plantação do bananal é feita em terreno da Prefeitura local (av.Francisco de Moraes Ramos, s/n, bairro Novo Horizonte), onde o grupo irá aprender, com orientação de engenheiro agrônomo, como dominar toda a operação de manejo, desde a preparação e correção do solo, compra e plantio de cerca de 800 mudas de banana prata (considerada pelo grupo como a mais apropriada para extração da fibra), adubação, eliminação de ervas daninhas até combate às pragas e retirada da matéria-prima. Isso envolve capacitação de mão-de-obra e planejamento de produção de bananas para viabilização de produção escalonada e de manejo otimizado dos pseudocaules. “É um processo que o Núcleo Duro terá de dominar para a sustentabilidade do empreendimento”, comenta Lisandre de Assis. Durante o processo educacional, os integrantes do Fibras da Serra desenvolveram até uma ‘carta de valores’, definida para avaliação contínua e apresentação para parceiros externos. São eles: união, iniciativa, capricho, organização, honestidade, auto-respeito e perseverança. O objetivo de produzir belezas sem destruir a natureza, com geração de trabalho e renda e ingresso até no mercado internacional está presente no dia-a-dia de cada integrante.
   Para viabilizar a construção da sede, compra de maquinário (máquina de costura e teares) e a execução do plantio manejado do bananal, a Solvay Indupa investiu R$ 420 mil, financiados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Mais R$ 150 mil foram investidos em formação e orientação do projeto, desde o início do projeto em 2006.

   Responsabilidade Social - O ‘Fibras da Serra’ é um desdobramento de um dos programas de relações com a comunidade, o Química & Natureza, desenvolvido pela Solvay Indupa desde 1997, inicialmente atuava junto às escolas públicas com envolvimento também de lideranças comunitárias no entorno da indústria. O programa atuou no processo de organização e formação de espaços de discussão e elaboração de projetos sócio-ambientais. Assim, em 2006, formou-se um grupo com o objetivo de definir de uma linha de produtos com viabilidade mercadológica e que, também agregasse valor ambiental. Adotou-se trabalhar com a extração de palha e fibra de bananeira. O ‘Fibras da Serra’ faz parte de um conjunto de projetos sociais da Solvay Indupa, para a geração de emprego e renda, inclusão social, educação e cidadania, e melhoria na competitividade da econ omia e na qualidade de vida.

|TOPO|


Secretaria de Desenvolvimento assina credenciamento provisório
do Parque Tecnológico de Santos no SPTec

Empreendimento voltado aos setores de petróleo, gás natural e tecnologia da informação será instalado nos bairros do Valongo e Vila Mathias; Petrobras e Usiminas serão parceiras do projeto

O secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, assina nesta quarta-feira, 28 de outubro, às 10 horas, com o prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa, o credenciamento provisório do Parque Tecnológico que será implantado no município. Com a entrada de Santos no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), já chegam a nove as iniciativas com credenciamento provisório no Estado.
   Para o secretário de Desenvolvimento, o projeto ajudará a Baixada Santista a atrair investimentos e oportunidades de emprego. “Com a exploração do pré-sal, muitas empresas se instalarão no litoral paulista e o Parque Tecnológico de Santos será o berço de boa parte delas”, afirma.
   O parque da Baixada Santista ficará localizado entre os bairros do Valongo e Vila Mathias e será voltado às áreas de petróleo, gás natural, porto, tecnologia da informação, meio ambiente e logística. As empresas que já manifestaram interesse em fazer parte do empreendimento são a Petrobrás, a Usiminas e iniciativas especializadas em tecnologia da informação.
   Os bairros escolhidos têm vocação para receber empresas de tecnologia focadas em pesquisa e desenvolvimento. Santos oferece condições técnicas, infraestrutura consolidada, concentração de universidades, Etec e Fatec. No total, o município soma seis universidades, com 35 mil alunos matriculados, além do Centro Paula Souza, que conta hoje com 5.961 alunos nas Escolas Técnicas da Baixada Santista e 1.730 alunos nas Faculdades de Tecnologia. A Secretaria de Desenvolvimento, em conjunto com Centro Paula Souza, prefeituras e setor produtivo, também estuda a criação de um curso técnico voltado à área de petróleo e gás.
   Em junho deste ano, o conselho curador da Fundação de Tecnologia e Conhecimento de Santos tomou posse na sede da associação comercial santista. A FTC será a entidade gestora do futuro Parque Tecnológico de Santos.
   Incentivos - As empresas que se instalarem em Parques Tecnológicos poderão participar do programa de incentivos fiscais, chamado “Pró-Parques”. Instituições de apoio e empresas de base tecnológica poderão utilizar os créditos acumulados do ICMS apropriados até 30 de novembro de 2010, ou diferir o imposto para pagamento de bens e mercadorias a serem utilizados na realização de projetos de investimento nos Parques Tecnológicos e também no pagamento do ICMS relativo à importação de bens destinados ao seu ativo imobilizado.

|TOPO|


Irwin oferece treinamento gratuito

Multinacional fornece cursos, palestras e aulas práticas para empresas do ramo da construção e da manutenção interessadas em capacitar seus profissionais e funcionários

Cada vez mais, a capacitação e profissionalização de funcionários é uma preocupação para as empresas dos setores da construção e da manutenção. Ao observar essa demanda, a multinacional americana IRWIN desenvolveu um projeto especial e gratuito para empresas interessadas em receber cursos, palestras e aulas práticas para montadores, marceneiros e profissionais da construção em geral. O treinamento recebe o nome de IRWIN Excelência Profissional e fornece aos participantes noções práticas e teóricas de como usar ferramentas de modo eficiente, rápido e seguro. É gratuito e só necessita de duas coisas da empresa interessada: espaço para sediar o curso e vontade de aprender.
   “O IEP ajuda pedreiros e mestres de obras ao ensinar o modo correto de manusear ferramentas, o que aumenta a produtividade desses profissionais e a eficiência dos produtos”, afirma Joana Kfuri, coordenadora de marketing da IRWIN.
   O IRWIN Excelência Profissional já passou por várias cidades do estado de São Paulo, entre elas Birigui, Araçatuba e Taubaté, levando consigo profissionais experientes para dar as palestras e monitorar as experimentações práticas. O curso também firmou parcerias com grandes grupos brasileiros que recebem, gratuitamente, o IEP nas fábricas para a capacitação dos profissionais.
   Caso você seja um gestor ou trabalhe em uma empresa que se interessa em sediar o IEP, envie um e-mail para suportetecnico@irwin.com.br ou acesse www.irwin.com.br

|TOPO|


Secretaria de Estado da Cultura expõe projetos na Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo

Estande com 200 m² trará maquetes, imagens e textos descritivos de oito projetos, entre museus, teatros e espaços culturais; linha do tempo marca os 30 anos de criação da Secretaria

A Secretaria de Estado da Cultura integra o time de expositores da 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, em cartaz no Pavilhão da Bienal entre 31 de outubro e 6 de dezembro. Em um estande de 200 m², os visitantes poderão conhecer os oito principais projetos arquitetônicos da Secretaria, por meio de maquetes, plantas, imagens ilustrativas e textos explicativos. A exposição também trará uma linha do tempo, com os principais empreendimentos da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo ao longo de seus 30 anos de existência.
   Os projetos expostos estão em diferentes estágios de realização e têm previsão de inauguração a partir de janeiro de 2010. “A exposição mostra a preocupação do Governo paulista com o que existe de mais moderno na arquitetura e na preservação do patrimônio histórico”, afirma o Secretário de Cultura, João Sayad.
   Estarão à mostra na Bienal os projetos das nove Fábricas de Cultura, edifícios em construção em pontos da cidade de São Paulo de alto índice de vulnerabilidade juvenil; o da nova sede do MAC-USP, em instalação no edifício que foi ocupado até este ano pelo Detran, na região do Ibirapuera; o do Museu da História de São Paulo, que ocupará a antiga Casa das Retortas, no bairro do Brás; o do Complexo Cultural – Teatro de Dança, a ser construído ao lado da Sala São Paulo, na Luz; os das Escolas de Circo, no bairro do Belenzinho, e de Teatro, na Praça Roosevelt; o da Biblioteca de São Paulo, no Parque da Juventude, Carandiru; e o do novo alojamento do auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão.
   Conheça mais detalhes dos projetos:
   MAC-USP – Ibirapuera / Autoria do Projeto de Arquitetura: Companhia Paulista de Obras e Serviços – CPOS – Projeto Básico / Construtora Simétrica – Projeto Executivo
   O Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP) será transferido para o prédio onde funcionava a sede administrativa do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), no Ibirapuera, na Zona Sul da cidade. O edifício, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, dará infra-estrutura mais adequada e maior visibilidade ao acervo do museu, composto por cerca de 10 mil obras – entre óleos, desenhos, gravuras, esculturas, objetos e trabalhos conceituais – de mestres da arte do século XX como Picasso, Matisse, Miró, Kandinsky, Modigliani, Calder, Braque, Henry Moore, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Volpi, Brecheret, Flávio de Carvalho, Manabu Mabe, Antonio Dias e Regina Silveira, entre outros. / Área total construída: 35.453 m²  / conclusão prevista para o primeiro semestre de 2010
   Complexo Cultural – Teatro de Dança / Autoria do Projeto de Arquitetura: Herzog & de Meuron
   O Complexo Cultural – Teatro de Dança tem como proposta ser um dos mais importantes centros destinados às artes do espetáculo do país, projetado especialmente para apresentações de dança, teatro, música e ópera. O novo espaço, localizado em frente à Sala São Paulo, na Luz, tem projeto arquitetônico do escritório Herzog & de Meuron e vai abrigar, além das futuras sedes da São Paulo Cia. de Dança e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, três teatros: um para dança e ópera, com 1.750 lugares; outro para 600 ocupantes, destinado a teatro e recitais; e uma sala experimental, com palco reversível e capacidade para 450 espectadores. Também haverá escola de dança, salas de ensaios para companhias residentes, biblioteca, estúdios, auditório, áreas administrativas, espaço para café, loja, praça de convivência e estacionamento para 1.000 veículos. / Área: 95 mil m² de área construída, em um terreno de 19 mil m² / conclusão prevista para 2014
   Museu da História de São Paulo / Autoria do Projeto de Arquitetura: Arquiteto Pedro Mendes da Rocha- Arte 3
   O Governo do Estado irá criar, no espaço do imóvel conhecido como “Casa das Retortas”, o Museu de São Paulo. A idéia central do novo espaço é retratar a história paulista, em ordem cronológica, desde sua pré-história (povos que habitavam o que viria a ser SP antes da chegada do colonizador) até a década de 1980. O foco principal do projeto é reunir acervo capaz de mostrar a diversidade cultural e a heterogeneidade de fatores e elementos constitutivos da história do Estado. Além disso, o Museu contará com um centro de documentação e promoverá conferências e seminários sobre assuntos referentes à história e à cultura do Estado. / Área: 19.865 m² / segundo semestre de 2010
   Biblioteca de São Paulo / Autoria do Projeto de Arquitetura: Aflalo & Gasperini
   O projeto da Biblioteca de São Paulo foi concebido para ocupar um edifico já existente no Parque da Juventude. A Secretaria de Estado da Cultura instalará nele a Biblioteca de São Paulo, que oferecerá serviços inovadores em amplo horário de funcionamento, inclusive aos finais de semana. Haverá serviços de referência digital, coleções de audiovisuais (CDs, DVDs e jogos), coleções atualizadas de livros com os lançamentos do mercado editorial, espaços com coleções infantis e juvenis, material de referência, jornais e revistas, computadores para acesso ao público, acesso integral a pessoas com deficiência, auditório, espaço de exposições e programas permanentes de promoção e incentivo à leitura. Toda a concepção tecnológica deverá facilitar a interação dos usuários com os serviços da biblioteca, oferecendo acesso a outras mídias. No pátio externo serão promovidos eventos e atividades ao ar livre. O edifício será ainda a sede do Sistema Estadual de Bibliotecas e oferecerá programas de capacitação para os profissionais que atuam nas bibliotecas municipais paulistas. / Área: disponível nesta primeira etapa – 4.257 m2 / inauguração prevista para o primeiro semestre de 2010
   Escola da Praça / Autoria dos Projetos Complementares: MACRO SYSTEM ENGENHARIA E INSTALAÇÕES LTDA. (Ar condicionado) / COMPANHIA DE PROJETOS LTDA. (Estrutura) / CTF ARQUITETURA LTDA. (estrutura, fundações, instalações elétrico-hidráulicas, ar condicionado, paisagismo, acústica, automação, etc.)
   A Secretaria de Estado da Cultura vai instalar, em edifício localizado na rua Martinho Prado, 210, Praça Roosevelt, uma escola que reunirá cursos técnicos na área de teatro, e que será base de apoio para atividades de formação, tais como, oficinas culturais e cursos livres de especialização. Coordenada pela Associação Amigos das Oficinas Culturais do Estado de São Paulo, a escola reunirá em seu corpo docente integrantes de grupos teatrais da região, contribuindo para sua articulação e para a revitalização da praça. O imóvel será recuperado e adaptado para o novo uso. Até lá, o projeto será instalado na Oficina Cultural Amácio Mazzaropi, no Brás, com vagas abertas a partir do início de 2010. / Área: 1.702,68 m² / conclusão prevista para o primeiro semestre de 2010
   Alojamento Campos do Jordão / Autoria do Projeto de Arquitetura: MMBB ARQUITETOS LTDA
   O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, construirá novos alojamentos para servir aos bolsistas que participam do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, assim como para participantes de outras atividades do calendário cultural do Estado. A construção será realizada em uma clareira já existente no meio da mata de Campos do Jordão. As novas instalações oferecem apoio ao Auditório Cláudio Santoro e deverão ocupar os dois patamares em desnível do lote vizinho ao auditório, respeitando a condição de área de preservação permanente, e definindo uma ocupação que traga para junto de si a vegetação a ser recuperada. O objetivo do projeto é extrair o máximo proveito desta condição especial, estabelecendo uma intervenção respeitosa às condições existentes e reservando a superfície do terreno às atividades de vivência e didáticas.  / Área: 4.762 m² (construção) / conclusão prevista para o segundo semestre de 2011
   Escola de Circo e sede do Fábricas de Cultura no Parque Belém / Autoria do projeto de Arquitetura: Construire – Patrick Bouchain e Loïc Julienne
   O Programa Fábricas de Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura, instalará a Escola de Circo do Estado de São Paulo no Parque Belém Tatuapé, na zona leste de São Paulo. A área do Parque, com mais de 250 mil m², abrigará, além da Escola de Circo e da sede do Fábricas de Cultura, uma Escola Técnica Estadual (Etec), uma unidade da Secretaria do Trabalho, áreas de lazer, com quadras poliesportivas, playground, ciclovia e vestiários. A concepção artística do projeto foi concebida pelo escritório Construire, instalado em Paris e liderado por Patrick Bouchain, que esteve à frente de importantes projetos de centros de formação e difusão das artes do circo na França, como a Academia Anne Fratellini, em Saint-Dennis, a Escola Nacional das Artes do Circo, de Rosny-sous-Bois, e a Academia de Espetáculos Eqüestres Bartabas. A Escola de Circo será construída em uma área de 11.260 m², ao lado da futura sede do Programa Fábricas de Cultura – que será implantada no edifício que abrigou o Reformatório das Meninas, construído na década de 1930. / Área: a grande lona terá cerca de 4.600 m², 30 metros de altura e 1.200 lugares. / previsão de entrega para o primeiro semestre de 2010
   Fábricas de Cultura / Autoria do Projeto de Arquitetura: Ciro Pirondi Arquitetura
   O Governo do Estado de São Paulo promove a construção de nove edifícios, distribuídos por regiões com baixos indicadores sociais na Capital – Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Sapopemba e Vila Curuçá (zona leste); Brasilândia, Cachoeirinha e Jaçanã (zona norte); Capão Redondo e Jardim São Luís (zona sul). Os prédios se tornarão polos de formação e difusão artística e cultural do programa Fábricas de Cultura (Programa Cultura e Cidadania para a Inclusão Social – PCCIS), que realiza ações artístico-culturais (circo, teatro, dança, música e incentivo à leitura com o projeto “Histórias e Brincadeiras”) destinadas a crianças e jovens, entre 8 e 19 anos, moradores dessas regiões. Com a coordenação artística de profissionais como Márcio Aurélio (Diretor Artístico Geral), Ari Colares (Música), Susana Yamauchi (Dança), Mário Bolognese (Circo) – o programa atende, atualmente, cerca de 1.500 jovens e crianças.
Os Centros Fábricas de Cultura são equipamentos culturais de 6 mil m2, em média, que terão diversos espaços de múltiplo uso e salas específicas para as atividades práticas de teatro, dança, música e circo, sala de audiovisual, ateliê de artes plásticas, oficina de cenografia e figurinos, biblioteca e um amplo teatro totalmente equipado. Cada CFC - Centro Fábricas de Cultura – custará cerca de R$ 12 milhões, totalizando um investimento de mais de R$ 100 milhões. O Programa foi implantado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, que obteve financiamento do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento. / conclusão prevista para o primeiro semestre de 2010.
   Serviço: 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo / De 31 de outubro a 6 de dezembro de 2009 / Pavilhão da Bienal - Parque do Ibirapuera  / Terça a quinta-feira, das 12h às 22h / Sextas, sábados, domingos e feriados das 10h às 22h / Acesso dos visitantes mediante ingresso ou convite.

|TOPO|


8º Prêmio Planeta Casa homenageia Irmãos Campana

A premiação contemplou os melhores projetos de construção, design e arquitetura sustentáveis

Com homenagem aos irmãos Humberto e Fernando Campana como ponto alto da noite, a oitava edição do Planeta Casa, promovido pela revista Casa Claudia e pelo movimento Planeta Sustentável, premiou, com festa no MAM, em São Paulo, os 18 melhores projetos de decoração, design, arquitetura e construção afinados com o meio ambiente. “É muito bom recebermos um prêmio no nosso país após 28 anos de história”, diz Humberto.
Fernando e Humberto Campana   A dupla, que tem projetos de design expostos em grandes centros mundiais, como o MoMa (Museu de Arte Moderna) de Nova York e o Centre Pompidou, em Paris, mostrou que tem os dois pés fincados aqui no Brasil. “No início, por falta de capital, usávamos determinados materiais e hoje ficamos felizes por essa improvisação, que surgiu da nossa necessidade de expressão e é característica do brasileiro, também ajudar a preservar o planeta”, conta Fernando.
   O Reflorestamento Nobre, de Piedade, São Paulo, foi o primeiro vencedor da noite, na categoria Ação Social, e rendeu, por parte do engenheiro agrônomo Rommel da Cunha, idealizador do projeto, um discurso emocionado sobre a iniciativa que prevê um fundo de aposentadoria a pequenos agricultores com a venda de madeira nobre. “O nosso trabalho mostra que é possível dar uma aposentadoria digna a esses trabalhadores. Em 10, 15 anos, eles conseguem ter uma boa reserva”, explicou. A loja Construlopes & Gimenez, de Ourinhos, uma das cinco contempladas nesta mesma categoria, disse que o prêmio confirma a fé que a empresa tem na educação. Já a designer Fabíola Bergamo, que trabalhou com produtores de junco em Registro, interior de São Paulo, ficou feliz com o reconhecimento na mesma categoria. “Fazemos um projeto em uma região tão esquecida, o Vale do Ribeira, e por isso é muito bom ter essa visibilidade nacional”. Rede Asta e a iniciativa Óleo Reciclado, Pescador Beneficiado, ambos do estado do Rio de Janeiro, também foram contemplados.
   Construção e decoração - “Esse prêmio é um incentivo para nós. Conseguimos mostrar que é possível fazer um arquitetura bonita e, também, sustentável”, diz Maira Del Nero, de Campinas. Junto com a sócia Juliana Boer, ela levou o prêmio na categoria Design de Interiores com o Loft Ecodecor. Já o Empreendimento Imobiliário da noite foi a loja ecoeficiente do Wal-Mart, em São Paulo. O melhor Projeto Arquitetônico foi a Casa Eucaliptus, em Campos do Jordão, do arquiteto André Eisenlohr.
   Produtos de decoração e Materiais de construção - O Planeta Casa mostrou com a empresa Revestimentos da Amazônia, de Manaus, uma das cinco vencedoras em Materiais de Construção, com seus painéis feitos a partir de ouriços de castanha-do-pará,que para se fazer um bom projeto pouco importa a posição geográfica. Ganharam, na mesma categoria, a Caixa Fácil (ES), o Kit Brasil, da Deca, a Ecofibra Indoor (RS) e a Linha Twin da Duratex.
   Dois prêmios de Produtos de Decoração foram para o Rio Grande do Sul: o banco Maack, de Garibaldi, e os acessórios para banheiro Native, da Coza, de Caxias do Sul. “É uma iniciativa dura romper com o que está estabelecido. Mas precisamos amplificar nosso trabalho e fazer projetos pensando na beleza e também no seguimento da vida na Terra”, disse Henrique Lopes, que recebeu o troféu pelo Maack. O sistema de iluminação Solatube 290 DS, do Rio, a luminária Ecopipa e a Acquajet, lavadora da Electrolux que economiza água, também saíram da premiação com motivo para comemorar.
   O Planeta Casa de 2009 teve 152 inscritos, 39 finalistas e 18 vencedores e contou com o patrocínio da Editora Abril, Banco Real, CPFL Energia, Bunge, Sabesp e Petrobras, e com o apoio de Guardian e Recoma. Os vencedores têm seus nomes divulgados no portal do Planeta Sustentável (www.planetasustentável.com.br) e na edição de novembro da Casa Claudia, além de receber como troféu uma escultura criada pela artista plástica Jacqueline Terpins. Os melhores trabalhos estão publicados no catálogo virtual do portal da revista (www.casaclaudia.com.br).

    Os vencedores do ano
   AÇÃO SOCIAL

   Projeto Junco / Sete empresas produtoras de esteira de junco criaram produtos com a matéria-prima para vencer a concorrência dos artigos importados da China.
   Óleo reciclado, pescador beneficiado / Oito mil litros de óleo de cozinha são coletados na Reserva Marinha de Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro para, no futuro, virar biodiesel e abastecer embarcações locais.
   Minha Casa do Futuro / Alunos do ensino fundamental de escolas de Ourinhos desenham moradias ecológicas e as melhores são premiadas em um evento.
   Florestamento Nobre / Projetos de plantio de árvores nobres em pequenas propriedades rurais do Vale do Ribeira, São Paulo, geram renda para a aposentadoria dos agricultores.
   Rede Asta / O Instituto Realice, do Rio de Janeiro, criou a primeira rede de venda direta de produtos sustentáveis do Brasil.
   PRODUTOS
 Banco Maack - O designer Paulo Dias criou, com pedaços de sobras de madeira maciça de várias espécies, banco Maack.
   Solatube 290 DS - No sistema de iluminação, uma cúpula externa capta a luz solar, que atravessa o telhado pela tubulação até chegar ao difusor, instalado internamente como uma luminária de teto.
 Luminária EcoPipa - Estrutura maciça de cedro rosa certificado, cúpula de tecido de plantas cultivadas na Amazônia e lâmpada halógena da Osram são as matérias-primas da peça.
   Lavadora Turbo Aquajet 15 kg - A função EcoEnxágue é a estrela da máquina de lavar da Electrolux, que economiza 40% de água com jatos de água que eliminam os resíduos de sabão e amaciante. mesmo ciclo.
Acessórios para banheiro Native -  A linha Native, da Coza, de Porto Alegre, tem produtos feitos com 35% de biopolímero à base de casca e fibra de coco.
   MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
   Caixa Fácil CA - A caixa de derivação elétrica da Metaf, empresa do Espírito Santo, permite reduzir em três centímetros a altura da capa de concreto da cobertura.
   Revestimentos da Amazônia - Em Manaus, ouriços de castanha-do-pará dão origem a placas decorativas que revestem paredes, balcões e móveis.
   Kit Brasil - Cuba e coluna de cerâmica, torneira, válvula de escoamento e sifão com 60% menos componentes que os dos lavatórios convencionais. O arejador da torneira reduz em 30% o consumo de água.
   Ecofibra indoor - Painéis fabricados com 31% de fibras de cana-de-açúcar, coco e madeira. As chapas não levam formaldeído na composição.
   Linha Twin - A torneira metálica da Duratex tem saídas independentes para água pótável e filtrada.
   PROJETO ARQUITETÔNICO
   Casa Eucaliptus - A casa de 50m² em Campos do Jordãofoi toda erguida com madeira de manejo sustentável e reflorestamento. A construção preservou a topografia do terreno e utilizou mão-de-obra e fornecedores regionais.
   DESIGN DE INTERIORES
   Loft Ecodecor - Futons e almofadas de algodão e seda orgânicos, tapetes de fios de pet reciclado, pltrona de brechó e mesa laterl de eucalipto de redescobrimento são o charme do loft.
   EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS
   Loja Ecoeficiente Wal-Mart Morumbi - O aproveitamento de luz natural e o uso de lâmpadas fluorescentes são algumas boas novas do sistema de iluminação da loja. Os vidros da fachada refletem o calor para diminuir a necessidade de ar-condicionado, o jardim é irrigado com água captada da chuva, as descargas dos banheiros são a vácuo e as torneiras têm fechamento automático.
   O Prêmio - O Planeta Casa existe desde 2002 e tem como objetivo valorizar projetos, ações e produtos que promovam o desenvolvimento sustentável. A idéia é estimular empresas e profissionais das áreas de arquitetura, construção e decoração a oferecer alternativas para preservar o meio ambiente e adotar práticas sócio-ambientais.

|TOPO|


Mostra Decor Interior de Americana estréia com vinte e um ambientes da marca S.C.A.
A marca de móveis planejados S.C.A. está evidenciada de forma bastante expressiva na mostra Decor Interior – 11ª Mostra de Decoração, Arquitetura, Design e Paisagismo, em Americana (SP)
   O evento que acontece de 28 de outubro a 06 de dezembro, conta com a execução de projetos em duas residências, de endereços distintos, na Rua Maranhão, 440, Bairro Werner Plass e na Rua Francisco Petrarca, nº 208, Bairro Residencial Nardini. Dos 43 ambientes criados, 21 apresentam móveis da marca S.C.A. através do trabalho de 14 profissionais de arquitetura e decoração, que foram acompanhados pela equipe da revenda S.C.A. em Americana.
   O diferencial é que após o evento, ambas as residências serão habitadas por seus proprietários e contarão com os mesmos espaços que estiveram presentes durante a mostra de decoração.
Espaço Gourmet, das arquitetas Aparecida Covolan e Silmara Camargo
Ambientes S.C.A.:
CASA 1 / Quarto do casal e closet – Silvana Barreto -
CASA 2 / Apto do estudante de intercâmbio/ hall e lavanderia – Thais Ferro - Cozinha / Sala de almoço – Iara Kilaris - Espaço Gourmet – Aparecida Covolan e Silmara Camargo – Adega – Agatha Lucato Bechara - Home Office – Vera Casarini - Home Theater – Nilma Sayão e Ariane Sayão - Family room – Luciana Rando - Suíte e banho do casal – Heloisa Pascote - Suíte (1) Fabrício – Suíte e banho do rapaz caçula – Maria Teresa Batagin - Suíte (2) Fabiano –Suíte e banho do primogênito - Alessandra Medeiros e Kelita Peressin
  
Serviço: Decor Interior de Americana / Período: de 28 de outubro a 06 de dezembro / Horário de funcionamento: das 14h0 às 22h - de quarta a domingo / Endereço da mostra: Casa 2 - Rua Maranhão, nº 440 – Bairro Werner Plass / Casa 1 - Rua Francisco Petrarca, nº 208 – Bairro Residencial Nardini

|TOPO|


Badebec inspira Jóia Bergamo no Restaurante Brasileiro

Presente em várias edições da Casa Cor em São Paulo, a arquiteta Jóia Bergamo, o restaurante Badebec e a Vinícola Salton marcam presença na Casa Cor Trio 2009, que acontece no Jockey Clube a partir do dia 5 de novembro.
   A arquiteta assina o ambiente “Restaurante Brasileiro”, inspirada na história mitológica da deusa Babedec, que deu origem ao nome do restaurante. O projeto de 200 m² alia tendências contemporâneas e francesas com o uso de materiais como papel de parede reciclado, mármore, tecidos e a madeira ecologicamente correta, além de vidros e espelhos que dão iluminação natural e amplitude ao ambiente.
   Um dos destaques do espaço é um grande painel, que revela a origem da deusa da satisfação Badebec que serviu o primeiro banquete aos deuses e fez com que eles despertassem para os prazeres do paladar. O painel também faz uma homenagem ao centenário da Vinícola Salton com fotos e imagens que retratam os 100 anos de sucesso na história da fabricação de vinhos.
   O cardápio oferecido no espaço será refrescante: como o evento acontece em dias quentes, a chef Lourdes Bottura deu foco para saladas, legumes frescos, molhos frios, carpaccios de frutas, quiches, massas, peixes e risotos. Tudo isso acompanhado dos premiados vinhos da linha premium da Salton: os espumantes Salton Évidence e Salton Reserva Ouro, e os tintos Salton Talento e Salton Desejo, entre outros.
   Serviço: Casa Cor Trio: Casa Boa Mesa, Casa Office e Casa Entretenimento / Data: de 5 de novembro a 6 de dezembro / Local: Av. Lineu de Paula Machado, 1075 - Jockey Club de São Paulo / Horário: terça a sábado, das 12h às 21h e domingo, das 12h às 20h.

|TOPO|


Ciesp Sorocaba transmite workshop sobre licenciamento ambiental

Cerca de 70 pessoas puderam acompanhar a nova era nas relações entre o setor industrial e o meio ambiente

A Diretoria Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp Sorocaba) realizou em 29 de outubro a transmissão via TV interativa do primeiro workshop sobre licenciamento ambiental. O evento registrou a participação, entre outras autoridades, do presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, do presidente da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Fernando Rei e do diretor de Meio Ambiente do Ciesp, Eduardo San Martin.
   O encontro inaugura uma série de workshops promovidos pela Cetesb e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), que deve ser acompanhado por cerca de 5 mil representantes de empresas na Avenida Paulista e nas 42 Diretorias Regionais, Municipais e Distritais da entidade.
   Em Sorocaba, cerca de 70 pessoas puderam acompanhar a legislação que regulamenta o sistema de licenciamento ambiental e as principais alterações adotadas pela Cetesb para processos de licenciamento. O técnico ambiental da Naturea, Luiz Fernando Nespeque Furtado, registrou participação no auditório da entidade. “Vim para o Ciesp para me informar sobre os novos procedimentos da Cetesb após a unificação”, diz.
   Para o dirigente da Indústria, Paulo Skaf, a parceria Ciesp-Cetesb inaugura um novo padrão nas relações entre o setor produtivo e órgão ambiental. “Uma relação de confiança, em que produção e sustentabilidade andam em equilíbrio”, ressalta. De acordo com o coordenador do departamento de meio ambiente do Ciesp Sorocaba, Paulo Mendonça, a desinformação é a principal causa da ilegalidade nas empresas. “Nós que representamos a indústria queremos mostrar a legalidade com a presença da Cetesb em nossa casa, porque estamos preocupados com o bem comum”.
   Na programação do workshop, o diretor de licenciamento e gestão ambiental da Cetesb, Marcelo de Souza Minelli, ministrou a respeito da Nova Cetesb, que passou por total reengenharia e incorporou, no organograma, as estruturas dos Departamentos de Pesquisa e Recursos Naturais (DPRN) e os Departamentos de Água e Esgoto (DAE’s). “O licenciamento ambiental no estado de São Paulo era feito por quatro órgãos. Agora, com a unificação da Cetesb prestaremos melhor serviço à sociedade”.
   Mauro Kazuo Sato, diretor de controle de poluição ambiental da Cetesb, apresentou a definição de licenciamento ambiental, as análises que o envolvem, as etapas por quais ele passa, o prazo de validade, os custos e o local onde pode ser feita a solicitação do licenciamento. “É um procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental licencia a localização de atividades poluidoras”, explica.
   O próximo workshop será realizado em 11 de novembro. Os interessados em acompanhar a transmissão na sede do CIESP na cidade, localizado na Avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 3260, podem inscrever-se pelo telefone (15) 4009-2914 ou 4009-2915. A participação é gratuita, e será possível fazer perguntas aos palestrantes.

|TOPO|


O Ano Internacional das Fibras Naturais, o Consumo Consciente e a Economia Criativa
O que temas tão importantes como estes têm em comum? Descubra o porquê no maior evento da Decoração e Design a céu aberto da América Latina

Entre os dias 10 e 28 de novembro acontece o Gabriel In Design, um movimento que reúne mais de 70 empresas localizadas na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, na cidade de São Paulo. Trata-se do principal endereço da Decoração e Design da América Latina, que reúne marcas ON TOP em um evento a céu aberto e tem como tema principal o “Ano Internacional das Fibras Naturais - do Natural à Tecnologia Inteligente”. Conta com o apoio da FAO/ONU, UNIC (Centro de Informação das Nações Unidas, ligado ao Secretariado Geral), UNCTAD (Conferencia das Nações Unidas sobre Comercio e Desenvolvimento), UN-HABITAT (Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos, responsável pelo Fórum Mundial Urbano) e da Rádio ONU (cobertura do projeto).

   No dia 10 de novembro acontece a inauguração da EXPO Ano Internacional das Fibras Naturais – do Natural à Tecnologia Inteligente, no Espaço Cultural Tecnofeal (Alameda Gabriel 2118) e da parede externa do Colégio Madre Alicx. A FAO/ONU apresenta um cenário expo-gráfico com objetos de diversas comunidades, integrantes do projeto social Caras do Brasil (um modelo sustentável do setor 2.5, projeto social do Pão de Açúcar). E para mostrar a sustentabilidade do uso das fibras nos projetos de Interiores, a Armando Cerello – empresa que há mais de 100 anos dedica-se à produção de móveis e acessórios em fibras naturais – fará uma ambientação especial.
   Além de comemorar o Ano Internacional das Fibras Naturais, instituído pela ONU, o Gabriel In Design une diferentes empresas em prol do design criativo e da tecnologia inteligente e apresenta o projeto de REQUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E CULTURAL DA ALAMEDA GABRIEL, uma referência internacional de design que insere São Paulo entre as 25 principais cidades neste segmento em todo o mundo. Pelo seu caráter turístico e de negócios, o evento conta também com o apoio da Secretaria de Turismo e da Prefeitura de São Paulo, passando a integrar o calendário oficial da cidade.
   O momento para a realização deste ambicioso projeto não poderia ser mais apropriado, já que as Nações Unidas comemoram o Ano Internacional das Fibras Naturais, que pretende discutir o papel das fibras naturais na segurança alimentar, no combate à pobreza e na preservação ambiental do planeta. É também oportuno lembrar que no final do ano todos os Estados-Membros da ONU se reunirão em Copenhague (Dinamarca) para discutir o mecanismo que substituirá o Protocolo de Kyoto, e por isso, ações que visam esclarecer e alertar a população sobre as ameaças do aquecimento global e das mudanças climáticas são bem-vindas.
   Neste sentido, o Gabriel In Design conta com a participação de lojistas, da indústria da moda, de designers, profissionais da área de comunicação e do público em geral na discussão dos assuntos que afetam o comportamento (consumo consciente) e a promoção de reflexões sobre a produção e criação de produtos que utilizam as fibras naturais, o que sem dúvida ajudará a compreender esta questão que afeta a vida de todos.
   A cada ano, os agricultores colhem cerca de 35 milhões de toneladas de fibras naturais de uma grande variedade de plantas (como o algodão, folhas de sisal, cascas de coco, caules de juta, plantas de cânhamo, linho e rami) e animais (ovelhas, coelhos, cabras, camelos e alpacas). Estas fibras formam tecidos, cordas e fios que foram (e são) fundamentais para a sociedade, desde os primórdios da civilização.
   Entretanto, na metade do século XX, as fibras naturais perderam sua importância com a introdução dos materiais sintéticos (nylon, poliéster, polipropileno, acrílico) nas roupas e utilidades domésticas, devido, principalmente, ao custo. As fibras sintéticas são produzidas em massa e têm como base produtos petroquímicos. A competição por parte destes produtos sintéticos causou um grande impacto na vida de milhões de pessoas que dependem da produção e do processamento das fibras naturais.
   Com o crescimento da população mundial e o aquecimento global, a disseminação de ações que promovam o consumo consciente passam a ter relevância internacional. A dependência de produtos derivados do petróleo tornou-se preocupante, já que não só se tornaram mais caros, como também estão associados à liberação de gases que ampliam o efeito estufa. Por outro lado, é comprovado que as fibras naturais são sustentáveis (podem ser devolvidas ao meio ambiente com menor prejuízo a natureza), uma escolha responsável.
   Opção viável  - A FAO/ONU definiu 2009 como o Ano Internacional das Fibras Naturais também pelo fato deste setor contribuir de forma efetiva para o crescimento econômico e ajudar a combater a fome e a pobreza no campo. As fibras naturais são de grande importância econômica para muitos países em desenvolvimento e vitais para a subsistência e a segurança alimentar de milhões de pequenos agricultores e processadores. Somente o mercado algodoeiro emprega 10 milhões de pessoas na África Ocidental e Central. Mais de 4 milhões de agricultores produzem a juta em pequena escala em Bangladesh e mais de um milhão de trabalhadores da indústria da seda atuam na China. Cerca de 120 mil famílias sobrevivem do pastoreio da alpaca nos Andes.
   Escolha sustentável - A emergente "economia verde" é baseada na eficiência energética, em processos industriais que reduzem as emissões de carbono e materiais recicláveis. As fibras naturais são um recurso renovável. Cultivar uma tonelada de fibra de juta requer menos de 10% da energia utilizada para a produção de polipropileno. As fibras naturais são carbono neutro. O processamento produz resíduos que podem ser usados em biocompostos para construção de casas ou para gerar eletricidade. No final do seu ciclo de vida, as fibras naturais são 100% biodegradáveis.
   Além disso, têm boa resistência mecânica, baixo peso e custo. Fatores como estes as tornaram particularmente atraentes para a indústria automobilística. Na Europa, as montadoras usam cerca de 80 mil toneladas de fibras naturais ao ano para reforçar os painéis termoplásticos. Na Índia foram desenvolvidos painéis compostos feitos de fibra de coco, que são mais resistentes.
   Fibra é fashion - As fibras naturais estão no coração de uma "roupa sustentável" (eco-fashion) ou de um movimento que visa a criação de peças de vestuário sustentáveis em todas as fases do seu ciclo de vida, desde a produção até a eliminação. Produtores de fibras naturais, os fabricantes da indústria têxtil e de vestuário precisam estar cientes das oportunidades oferecidas pela crescente demanda por algodão orgânico e lã, para tecidos recicláveis e biodegradáveis.
   A maioria das fibras naturais ainda é usada para fazer roupas (são mais confortáveis e proporcionam a transpiração da pele no verão e a manutenção do calor no inverno), isolar, amaciar e decorar os espaços de vida. Cada vez mais, os têxteis são usados em componentes de materiais compostos, em implantes médicos, geo e agrotêxtil. No futuro haverá lugar para fibras naturais e bio-fibras de base sintética, uma não precisa ser uma ameaça para a outra. Tanto produtores como os lojistas deverão considerar o impacto ambiental do ciclo de vida dos seus produtos, sobretudo com a crescente demanda de consumidores mais conscientes.
   A fibra e a economia criativa - A economia criativa compreende setores e processos que têm como insumo a criatividade, em especial a cultura, para gerar localmente e distribuir globalmente bens e serviços com valor simbólico e econômico. De maneira geral, as indústrias criativas são constituídas pelos setores da propaganda, arquitetura, mercados de arte e antiguidades, artesanato, design, moda, filme e vídeo, software de lazer, música, artes do espetáculo, edição, serviços de computação e software, rádio e TV.
   O mercado da decoração está inserido neste contexto, sobretudo as empresas que são, por excelência, formadoras de opinião e lançam tendências, como as que estão localizadas na Alameda Gabriel Monteiro da Silva e têm na utilização da fibra natural e da tecnologia inteligente seus maiores aliados. O evento pretende mostrar macro-tendências e o que há de melhor nas diversas vertentes do segmento “Indesign” de excelência, em marcas que fazem a diferença nos detalhes, na essência criativa e na qualidade do acabamento, sob o olhar dos mais renomados profissionais (estilistas, designers, arquitetos, decoradores, intelectuais) e formadores de opinião.

|TOPO|


Philips ilumina torre de transmissão da RPCTV, afiliada da TV Globo

Iluminação em Curitiba inicia as comemorações do cinqüentenário da emissora

A cidade de Curitiba passa a exibir mais um cartão postal. A Philips ilumina a torre de transmissão da RPCTV em Curitiba. A rede completou 49 anos, mas decidiu desde já iniciar as celebrações do seu 50º aniversário ao instalar esta nova iluminação extremamente moderna e eficiente.
   O sistema é composto por 18 projetores de LEDs (sigla em inglês para diodos emissores de luz). O LED é um semicondutor emissor de luz que utiliza a mesma tecnologia empregada nos chips de computadores e possui vida útil de 50.000 horas, além de ser muito mais econômico do que os refletores normais a vapor.
   A torre tem 98 metros e passará a exibir variações de cores e padrões sobre sua superfície. Ela ficará iluminada todas as noites; os projetores cobrem a superfície da torre com cores vivas e sem a necessidade de filtros.
   A tecnologia também permite a criação de cenários especiais para as mais variadas datas comemorativas ao longo do ano. / www.philips.com.br

|TOPO|


Novas plataformas garantem flexibilidade e conectividade no escritório

Se um móvel de escritório fosse um facilitador do seu trabalho, como ele seria? Pensando em tornar o ambiente de trabalho cada vez mais integrado, confortável e produtivo, a Flexiv – Escritórios de Sucesso lança a Nova Web Linea. Dentre os vários benefícios deste lançamento, destaque para a flexibilidade de layout, o exclusivo Kit Eletrônico e a ótima relação custoXbenefício.
   Com um design dinâmico e estrutura pronta para isso, o layout do escritório pode ser alterado com facilidade. Acrescentar novos postos de trabalho a qualquer momento não é mais problema. Já o Kit
Eletrônico otimiza os recursos deixando à mão, bem no topo do tampo, todas as tomadas para conexão de equipamentos, além de entradas USB, de áudio e vídeo. Ou seja, se quiser conectar um pen drive, por exemplo, é só encaixá-lo direto na plataforma. Com todas essas vantagens, a relação custoXbenefício não poderia ser melhor, principalmente no acabamento dos tampos em Aglomerado BP branco e no dos painéis MDF, em microtextura na cor grafite.
   A Nova Web Linea faz parte da Linha Webstation, que prioriza a comunicação e conectividade para inspirar o prazer de trabalhar. Veja aqui os principais diferenciais deste lançamento: Possui uma única calha no tampo que recebe todo o cabeamento de forma organizada e dentro das novas normas da ABNT / Kit eletrônico: de acesso fácil, é formado por um conjunto de tomadas que suprem todas as necessidades de fonte de energia para equipamentos e acessórios, como entradas USB (para pen drives, por exemplo), de áudio, vídeo, além das tomadas elétricas / Flexibilidade de estrutura: é possível compor novos layouts. Como foi pensada da unidade para o todo, é possível acrescentar mais
postos de trabalho quando necessário, de acordo com o projeto / Os painéis frontais deixam o plano de trabalho mais organizado e delimitam o espaço individual favorecendo a comunicação
com o colega, quando necessário / Assim como os outros dois lançamentos recentes da Flexiv - a
Web Delta e Web Quadra, vencedoras do prêmio IDEA Brasil 2009 - a Nova Web Linea também permite que em qualquer etapa do cronograma da obra a estrutura elétrica e lógica possam ser instaladas.
   Em tempos de conectividade e time to market, a Nova Web Linea da Flexiv chega com inteligência, ergonomia e estética para inspirar nas pessoas e nas equipes o prazer de trabalhar. A novidade já está em exposição nos showrooms Flexiv de Curitiba e São Paulo. / www.flexiv.com.br

|TOPO|


Philips lança seu novo site de luminárias de consumo com 300 opções de produtos. Destaque para a linha de crianças e bebês.
Por conta da proximidade do período de compras de fim de ano, a Philips lança um site especialmente voltado para as novas luminárias que ajuda o consumidor a escolher presentes originais e criativos.
   Neste site moderno e simples de navegar, demos especial destaque à linha de luminárias para quartos de bebês e crianças. Como se sabe, eles precisam de um quarto divertido, estimulante e seguro. A linha Philips Kidsplace oferece o que há de melhor, tanto em segurança quanto em diversão. A iluminação difusa e direcional é especialmente projetada para emitir uma luz suave e aconchegante. Além disso, as luminárias são produzidas com material seguro e tinta atóxica. A linha Philips Kidsplace dispõe de uma coleção composta por flores divertidas, bichinhos coloridos, borboletas, foguetes e outros formatos que possibilitam que o quarto das crianças seja um local especial, só delas. Este é o link do site: http://www.luz.philips.com.br/portalHome.do

|TOPO|


Em apenas um dia, Cyrela vende 50% de empreendimento em Santana

A Cyrela Brazil Realty e a NISS Incorporações e Participações comemoram o resultado do lançamento do Praça Santana, na Zona Norte da capital paulista. O sucesso de vendas foi tanto que, somente no domingo, foram comercializadas 50% das 108 unidades disponíveis. Ontem o estande recebeu aproximadamente 600 visitantes. Localizado na Rua Maria Curupaiti, 955, o Praça Santana possui uma única torre e apartamentos de 133m² privativos.

www.s2.com.br e www.cyrela.com.br

|TOPO|


Todeschini Passo Fundo de casa nova
O empresário Maigregor Baruffi abriu as portas da nova sede da loja Todeschini de Passo Fundo no último dia 27, com um charmoso coquetel.
Cerca de 400 convidados tiveram a oportunidade de conhecer o amplo espaço de 742m², cinco vezes maior que o anterior, e o show room projetado com o último lançamento da marca: a Coleção Organix Todeschini.
   Inovadora, a loja traz 15 novos ambientes com móveis em padrões exclusivos. Entre os destaques do empreendimento está o Escritório, espaço corporativo que mostra a versatilidade da marca, e os dois ambientes funcionais: a Cafeteria e a Cozinha Gourmet, na qual serão realizados eventos de relacionamento com profissionais e clientes. “Temos importantes parcerias com construtoras e corretoras. Queremos estreitar os laços promovendo ações nesta área, como por exemplo nos lançamentos de empreendimentos”, destaca Baruffi – que há dez anos lidera a Todeschini Passo Fundo.
   Para o empresário, o momento é de consolidar uma maior abrangência no mercado, ampliando a atuação da marca, conquistando novos clientes e fidelizando os que já possuem. “O novo endereço nos dá mais visibilidade. Vamos aproveitar este ponto forte para chegar ao público que aprecia o design e busca produtos diferenciados, com qualidade e excelência no atendimento. Desta forma, alcançaremos nossas metas e objetivos”.

|TOPO|


Madetec compra marca Bergamo

A Madetec surpreende o segmento moveleiro ao anunciar a aquisição da marca Bergamo. A negociação da compra se deu há quase dois anos, mas a empresa não revela os valores nem detalhes dessa negociação. Segundo o diretor comercial Sr. Giancarlo Bega Pizza: 'A Madetec resolveu divulgar esta compra só agora, pois neste momento começaram os estudos sobre o que exatamente fazer com a marca. Estamos analisando duas possibilidades. A primeira seria a utilização da marca no seguimento de dormitórios, onde a Bergamo sempre foi conhecida, ou ainda, lançar uma linha de móveis planejados com a marca Bergamo. Mas, por enquanto, a única coisa que já está certa é a nova logomarca Bergamo!'.
   De qualquer forma a aquisição de uma marca tradicional, que ainda hoje é reconhecida por sua qualidade por muitas pessoas em pesquisas do setor moveleiro, com certeza será um grande reforço para o aumento da participação da Madetec no mercado em que atua. / www.madetec.com.br

|TOPO|


Peças com design assinado é o forte da proa produtos
Kimi Nii, Camila Fix, Carlos Alcantarino e Flávia Pagotti são alguns dos designers que criam coleções exclusivas de objetos e acessórios de decoração para a marca

Oferecer objetos e acessórios com design contemporâneo, aliando qualidade e bom preço. Foi com essa proposta que, em 2004, nasceu a PROA PRODUTOS, uma parceria entre uma indústria de móveis sediada em Ponta Grossa/PR e um seleto grupo de designers brasileiros.
   Desde então, a PROA PRODUTOS – nome inspirado na parte dianteira do navio, que orienta a direção, e também referente às iniciais das palavras "produtos assinados” – tem conquistado o mercado de decoração do país, registrando crescimento médio de 12% no volume de negócios. E não é para menos! Cada peça da PROA PRODUTOS traz linguagem própria do designer em coleções exclusivas, além da praticidade e o uso de matérias-primas atuais e resistentes que caracterizam a marca.
   Kimi Nii, por exemplo, assina a linha de vasos em vidro pintado e cerâmica, além do Mancebo Flora, em alumínio fundido, inspirado em temas da natureza (uma característica do seu trabalho). Com traços contemporâneos marcantes e estilos próprios, Camila Fix, Carlos Alcantarino e Flávia Pagotti desenvolvem para a PROA itens como bandejas, centros de mesa, cabideiros, porta-chaves, espelhos de parede, porta-retratos, revisteiros, vasos, cinzeiros, artigos para escritório, castiçais, entre outros, em materiais variados madeira, resina, aço (inox, cromado e pintado), alumínio polido, vidro e espelho.
   Segundo Ricardo Schneider, diretor de marketing da PROA PRODUTOS, as criações da marca são bastante procuradas por pessoas adeptas de qualidade e estilo, que buscam por artigos diferenciados para valorizar o ambiente de sua casa, escritórios e até clubes, hotéis e restaurantes. "Grande parte dos consumidores da PROA está concentrada em São Paulo, mas estamos trabalhando para aumentar a participação nos estados da região Nordeste e Sul, e no restante da região Sudeste”, afirma. A fabricante tem como mercado, além de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Ceará, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. / www.proaprodutos.com.br

|TOPO|


Bali Express participa da casa cor trio com seus lindos móveis e acessórios orientais e o famoso tuk-tuk

A participação da Bali Express na 1ª edição da Casa Cor Trio é, provavelmente, uma das mais importantes, pois é em dose dupla. Além de patrocinar diversos ambientes com seus móveis e acessórios de origem oriental, uma outra charmosa aquisição da empresa também estará presente. É o já conhecido tuk-tuk, grande sucesso da Casa Cor São Paulo deste ano. O meio de transporte mais utilizado na Índia e nas grandes cidades do Sudeste Asiático, transportará os visitantes pelo Casa Boa Mesa (gastronomia e decoração), Casa Office (escritórios e mundo corporativo) e o Casa Entretenimento (apresentará soluções inovadoras para ambientes com este perfil).
   Produtos e suas especificações: Cozinha da Família – Arquiteta Adriana Scartaris / Banco Flor em jacarandá mineiro; poltrona balinesa em teak wood (Lançamento); encosto em spaguetti de rattan (Lançamento); banco tailandês sem encosto em bambu prensado. / Bilheteria – Arquiteto Paulinho Peres / Escultura Legong esculpida em um único tronco de teak wood (Lançamento); poltrona talilandesa Ovo em spaguetti de rattan e couro (Lançamento); luminária Tai com estrutura em teak wood e cúpula em rattan trançado; puff balinês em couro trançado. / Security Office – Daniela Colnaghi / Mesa de jantar Tai, linha Guerrard, com estrutura em teak wood e bambu prensado (Lançamento); cadeira tailandesa com estrutura em teak wood e assento e encosto em couro trançado; aparador Tai, linha Guerrard, com estrutura em teak wood e bambu prensado; mesa de centro Tai, linha Guerrard, com quatro bandejas, com estrutura em teak wood e bambu prensado. / Externo Office Lounge – Cris Moura / Kartini dupla balinesa em teak wood; mesa de centro, linha Ovium, em teak wood; aparador balinês em teak wood; Kartini balinesa em teak wood; buda em pedra vulcânica (Lançamento) ; luminárias de pedra vulcânica.
   Ficha técnica CASA COR TRIO / Local: Jockey Club de São Paulo. / Av. Lineu de Paula Machado, 1075 - Cidade Jardim – SP / De 5 de novembro a 6 de dezembro. Special sale: 4,5 e 6 de dezembro / De terça a sábado das 12h às 21h. Aos domingos das 12h às 20h / De terça a sexta-feira R$ 35,00. Sábados, domingos e feriados R$ 40,00. Em todos os dias a entrada após as 20h custará R$ 20,00. Passaporte CASA COR R$ 50,00. Ingressos à venda na bilheteria, na Fnac e pela TICKEMASTER (www.tickemaster.com.br) / (11) 3819-7955, www.casacor.com.br e www.tickemaster.com.br
   Bali Express / www.baliexpress.com.br

|TOPO|


Denver Impermeabilizantes e AEI lançam dupla garantia em impermeabilização
A Denver Impermeabilizantes e a AEI trabalham juntas para oferecer dupla garantia em produtos e serviços de impermeabilização para condomínios do Estado do Rio de Janeiro

A Denver Impermeabilizantes e a AEI-Associação das Empresas de Impermeabilização do Estado do Rio de Janeiro lançam no Rio de Janeiro o programa Dupla Garantia em Impermeabilização para Condomínios. O apoio entre empresa e instituição reforça um programa que consiste em prevenir problemas de manutenção em edificações e aumentar a qualidade na aplicação de impermeabilizantes.
   Para participar, os condomínios passam por uma vistoria completa no que se refere à impermeabilização, infiltrações e demais problemas relativos à umidade. As condições do edifício são enumeradas em um relato detalhado, efetuado pelas empresas de consultoria especializada e validada pela Denver Impermeabilizantes. Esse relato especifica o correto tratamento contra umidade, identifica e quantifica a execução dos serviços e produtos a serem utilizados. O relatório técnico é entregue ao condomínio, e encaminhado para empresas associadas à AEI e habilitadas pela Denver Impermeabilizantes, que apresentam proposta comercial, já incluindo o modelo do termo de cobertura da garantia dos respectivos produtos e serviços.
   Dupla confiabilidade - A soma de produtos de qualidade, fornecidos pela Denver Impermeabilizantes, com a qualificada prestação de serviços das empresas aplicadoras associadas à AEI, determina os objetivos do programa “Dupla Garantia em Impermeabilização para Condomínios”, envolvendo por completo a qualidade do produto final, ou seja, a impermeabilização.
   O coordenador técnico da Denver Impermeabilizantes, Engº Flávio de Camargo, afirma que o mote do programa é a confiabilidade conferida pela AEI, entidade de reconhecido respeito; e pelo comprometimento da Denver Impermeabilizantes, uma marca forte no segmento de Impermeabilização. “A aplicação dos produtos é feita em comum acordo entre ambas, o que determina a Dupla Garantia. E o programa conta ainda com respaldo técnico dos especialistas em impermeabilização”, completa.
   Empresas aplicadoras participantes do programa “Dupla Garantia em Impermeabilização” (*): Almar W. Hood Engenharia Ltda / HP Impermeabilizações Ltda / Impermaster Engenharia Ltda / Impermeabilizações Blezza Serviços Técnicos / Primer Engenharia Ltda.
   Consultorias especializadas participantes do programa “Dupla Garantia em Impermeabilização”(*): Brassili Consultoria Técnica / Castro Saldanha Consultoria / Cetimper Engenharia e Construções Ltda. / (*) Aplicadoras e consultorias associadas à AEI-Associação das Empresas de Impermeabilização do Estado do Rio de Janeiro.
   Denver Impermeabilizantes - Empresa do grupo Formitex, de capital 100% brasileiro, é uma das maiores fabricantes nacionais de impermeabilizantes e especialidades químicas para a construção civil. Em 2009, a Denver Impermeabilizantes completa 26 anos, e ao longo deste período construiu uma história de destaque, fornecendo produtos e soluções para as mais importantes obras da engenharia nacional. Em sua linha de produtos, destacam-se as mantas asfálticas de alta performance, produtos para o reparo e vernizes de proteção de concreto, adesivos, selantes, grautes e impermeabilizantes em geral. www.denverimper.com.br
   AEI – Associação das Empresas de Impermeabilização do Estado do Rio de Janeiro é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1996. Congrega empresas de serviços de impermeabilização, distribuidores, consultores e representantes das fábricas de insumos para impermeabilização, sediadas no Estado do Rio de Janeiro. www.aei.org.br / Mais informações poderão ser obtidas pelo SAC 11 4741-6000 – São Paulo e 0800-770-1604 – Demais Regiões.
|TOPO|


Construtech promoveu ciclo de debates sobre momento da indústria da construção civil
A Pini promoveu de 20 a 22 de outubro, o Construtech, encontro dos profissionais da indústria da construção e arquitetura

Durante os três dias do evento, os participantes puderam trocar idéias com grandes especialistas do mercado, que estiveram presentes nos seminários e fóruns realizados no Construtech.
   No fórum Tecnologia e Sistemas Construtivos para o Segmento Residencial, um dos assuntos discutidos foi a adaptação do setor à NBR 15.575, Norma de Desempenho para edifícios habitacionais de até cinco pavimentos. A normalização, que entra em vigor em maio do ano que vem, especifica os critérios para que uma construção ofereça ao usuário segurança estrutural, funcionalidade, acessibilidade e durabilidade, bem como conforto térmico e acústico. Além disso, também exige a introdução do ensino do conceito de desempenho nas universidades. Para o engenheiro Carlos Alberto de Moraes Borges, superintendente do Cobracon (Comitê Brasileiro da Construção Civil) da Associação Brasileira de Normas Técnicas, para quem já cumpre as normas, nada muda com a NBR 15.575. “O custo nem aumenta e nem diminui, continua o mesmo", afirma. "Para os que não cumprem, o grande diferencial é que tudo deverá ser especificado no projeto, que ganhará importância com a norma. Grande parte da qualidade do edifício é determinada no projeto", completa o engenheiro.
   Já durante o seminário Engenharia de Custos na Construção Residencial, o professor e coordenador do Núcleo de Real Estate da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, João da Rocha Lima, apontou os riscos e oportunidades dos empreendimentos habitacionais no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Lima mostrou como a velocidade de vendas é fator determinante no MCMV. "O empreendimento vendido antes da construção não tem custos de juros e tem condição financeira melhor", disse. Segundo Lima, um planejamento financeiro inadequado no âmbito do MCMV, ou seja, sem considerar o descasamento entre diferentes índices de custos, pode superestimar o resultado do empreendimento em cerca de 86%. "As operações são arriscadas. Se o empreendedor não conseguir uma velocidade de vendas adequada, a taxa de retorno cai bastante", conclui.
   No seminário Desafios e Oportunidades no Mercado de Obras Públicas, o presidente do Sinaenco, Jose Roberto Bernasconi, alertou para o atraso no planejamento das obras da Copa do Mundo de 2014. Bernasconi tem viajado pelo país a convite de entidades empresariais e profissionais das cidades-sede brasileiras para acelerar o debate sobre as obras. Em sua palestra, discorreu sobre o exaustivo trabalho nos últimos meses para conscientizar gestores públicos envolvidos na organização da Copa do Mundo de 2014. "É uma oportunidade de o Brasil retomar o planejamento, como se fazia nas décadas de 1960 e 1970."
   Bernasconi mostra-se preocupado, principalmente, com os gargalos em transportes e telecomunicações e citou problemas vividos recentemente em grandes capitais, como as quedas de energia e da transmissão em banda larga. Ele defendeu ainda o tratamento da questão da segurança pública como um problema de engenharia. "A segurança tem aspectos logísticos e de comunicação que só a Engenharia pode resolver", ressalta.
   Outro destaque do seminário Desafios e Oportunidades no Mercado de Obras Públicas foi a presença do engenheiro civil e auditor federal do Tribunal de Contas da União (TCU), que exaltou as melhorias nos processos de fiscalização de obras públicas. De acordo com o engenheiro, em 2009, o TCU fiscalizou um total de 219 obras. Destas, foram encontradas irregularidades graves em 29%; 55% delas apresentavam alguma irregularidade; e 16% não continham nenhum tipo de ressalva. As obras de transportes correspondem a mais de 63% das obras fiscalizadas pelo TCU anualmente; energia e edificações vêm a seguir com os maiores volumes. Entre todas as obras fiscalizadas, foram encontrados indícios de sobrepreço em 138 delas. O engenheiro fez questão de repetir, entretanto, que não cabe ao TCU paralisar ou não as obras. O Tribunal apenas junta os pareceres e os entrega às comissões mistas formadas no Congresso.
   De obras do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento), 2.446 foram alvo de fiscalização, sendo que apenas 3,9% apresentaram algum problema. "O desempenho do programa, portanto, não se deve ao TCU e sim aos erros dos gestores e aos orçamentos malfeitos". Para ressaltar o trabalho do TCU, o engenheiro repetiu diversas vezes: "Não se esqueçam do caso do TRT de São Paulo. É por isso que informamos ao Congresso quando verificamos indícios de irregularidades. Isso aconteceu naquele caso e os prejuízos nós todos já conhecemos", destaca.

|TOPO|


Mudanças na Lei do Inquilinato são bem-recebidas pelo setor imobiliário

Secovi-SP avalia que oferta de imóveis para locação tende a aumentar com aprovação de projeto de lei

Projeto de lei aprovado nesta quarta-feira (28/10) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, projeto de autoria do deputado José Carlos Araújo, abre caminho para uma nova Lei do Inquilinato, mais moderna que a atual.
   O novo texto, que agora segue para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi muito bem recebido pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação). “Boa lei é aquela que realmente atende à demanda da sociedade e regula coerentemente a ordem, a paz e o desenvolvimento, não apenas o econômico”, analisa Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Sindicato. “Interessa à sociedade esse aprimoramento da lei, verdadeiro presente para ela, que está completando 18 anos.” Segundo Bushatsky, essa atualização vem ao encontro da necessidade das pessoas e também da atual compreensão da jurisprudência.
   De modo geral, avalia o diretor do Secovi-SP, as alterações tentem a incrementar a oferta de imóveis para locação no mercado, visto que alguns pontos que desestimulavam os proprietários a alugarem suas unidades serão eliminados após a sanção presidencial. Entre as principais mudanças, está a obrigatoriedade de o inquilino quitar a dívida com o dono do imóvel ou a imobiliária em 15 dias, a partir do recebimento da notificação de despejo. “Hoje em dia o processo é muito mais moroso. É normal em São Paulo uma simples ação de despejo por falta de pagamento demorar até um ano para ser concluída.”
   Pela nova legislação, um mandado único de despejo será suficiente para que o inquilino devedor saia do imóvel. Atualmente são necessários dois mandados e duas diligências até que o locatário inadimplente seja despejado.
   Outro avanço do texto aprovado é que ele prevê a possibilidade de mudança de fiador, o que não existe na atual Lei do Inquilinato.

Aluguel com reajuste em novembro pode cair 1,31%

Essa é a variação do IGP-M acumulado nos últimos 12 meses

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) subiu 0,05% em outubro, totalizando uma variação de -1,57% no ano e de -1,31% no período de 12 meses compreendido entre novembro de 2008 e outubro deste ano.
   Com isso, os contratos de aluguel com aniversário em novembro poderão sofrer redução de 1,31%, visto que o IGP-M baliza boa parte dos contratos de aluguel de imóveis residenciais.
   Um imóvel alugado por R$ 1 mil até outubro passa a valer R$ 986,90 a partir de novembro pelos próximos 12 meses. O fator multiplicador em relação ao aluguel de outubro é de 0,9869. É preciso levar em conta que esse reajuste vale para contratos com reajuste em novembro e pagamento no início de dezembro.
   Fatores de Reajustes de aluguel:
Contrato com aniversário em setembro de 2009 e pagamento em outubro: 0,9929
Contrato com aniversário em outubro de 2009 e pagamento em novembro: 0,9960
Contrato com aniversário em novembro de 2009 e pagamento em dezembro: 0,9869

|TOPO|


Embrace cria álbum de figurinhas para empreendimento da Living

    A Embrace iniciou ações de comunicação dirigida para o Ventura Clube de Morar, um empreendimento da Living. Entre as propostas está o envio de um álbum de figurinhas do lançamento, escolhido por ser um elemento de lazer e passatempo que interage com o público-alvo, e atinge várias faixas etárias. A ação tem por objetivo envolver o perfil desejado com a diversidade de opções de lazer do Ventura Clube de Morar.
   O empreendimento é um dos mais novos lançamentos da Living Construtora, uma empresa do grupo Cyrela Brazil Realty. A partir de suas características de metragem e valores, a Embrace definiu como público-alvo jovens com estabilidade financeira, entre 25 e 40 anos, e residentes próximo ao local das obras.
   Nesse perfil, estavam incluídos casais sem filhos ou com filhos ainda crianças. Após a Embrace definir o target que seria atingido, o próximo desafio foi explorar ao máximo os itens de lazer do empreendimento, grande diferencial do Ventura, que rendeu ao projeto a denominação de Clube de Morar.
   “Definimos o público, e partimos para uma ação que envolvesse este perfil e explorasse ao máximo os itens de lazer do empreendimento, grande diferencial do projeto”, afirma a Diretora de Atendimento da Embrace, Lisella Zaffari.
   O álbum e um pacote de figurinhas foram enviados a 5200 moradores de Porto Alegre como mala direta, acompanhados de um descritivo do projeto e imagens das plantas do empreendimento. Ao manusear os adesivos, procurando o espaço respectivo de cada um no álbum, o público se envolve com a diversidade de opções de lazer do empreendimento, uma vez que cada figura adesiva é a perspectiva de uma das áreas de lazer.

   Ficha Técnica - Direção de criação: Luciano Soares / Diretora de Arte: Milene Martins / Redação: Silvio Pilau / Direção de atendimento: Lisella Zaffari / Atendimento: Susane Caruso / Planejamento: Débora Gonçalves e Elisa Cristofolini / Aprovação: Raquel Pereira e Dan Berger / www.embrace.com.br

|TOPO|


 

 

 

| principal |